Sem querer, Bolsonaro mostra conteúdo adulto no celular

Presidenciáveis Jair Bolsonaro (PDT), à esquerda, e Guilherme Boulos (PSOL), à direita. (Foto: Guilherme Rodrigues/Futura Press)

Candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro se envolveu em nova polêmica. Dessa vez por acidente. Ao mostrar seus grupos do WhatsApp em vídeo divulgado em suas redes sociais, o liberal acabou mostrando alguns grupos de conteúdo adulto.

Entre os grupos em que Bolsonaro é ativo estão o “Caiu na Net” e “T98”. Veja o vídeo abaixo:

Essa não é a primeira polêmica envolvendo Bolsonaro nesta semana. Na noite da última terça-feira, o candidato tratou com desdém  o incêndio que dizimou o acervo do Museu Nacional e deixou todo o país consternado. “Já ta feito, já pegou fogo, quer que eu faça o quê?”, disse.

O presidenciável demonstrou impaciência ao ser questionado sobre o assunto. Num primeiro momento, disse que não responderia e depois acusou jornalistas de quererem jogá-lo contra a Cultura. “Vocês querem me jogar contra a Cultura. A Cultura é importante e eu quero saber de cultura raiz. Recurso sim via lei Rouanet para artista que está iniciando a carreira, para música caipira, sertaneja, é por ai. Não é para esses globalistas ficarem mamando na nossa teta não”, argumentou.

Candidata provoca racha em partido de Bolsonaro
Cabo Daciolo entra com pedido no TSE por voto em cédulas
Alckmin é denunciado por improbidade e MP pede perda dos direitos políticos
Policiais presos integravam campanha de filho de Bolsonaro no Rio

Ele também respondeu de forma homofóbica um questionamento jornalístico de um repórter gay sobre um vídeo compartilhou em que uma criança era exposta dizendo que sua professora “ensinou que menino usa saia, vestido, brinco e pinta a unha”. “Qual o posicionamento do senhor? Por que o senhor retuitou isso”, perguntou o repórter. “Pergunta pro teu…Você pintou a unha quando era criança?”, questionou o presidenciável.

Quando o jornalista respondeu que não pintou, o candidato imediatamente afirmou: “Você tem cara de ter pintado a unha”. A entrevista ocorreu enquanto o parlamentar caminhava até o plenário da Câmara dos Deputados. O presidenciável é constantemente acusado de homofobia, mas nega. (Com informações do UOL).