Sem reforços, jovens ganham espaço no PSG, e Mbappé vê Neymar como o "superstar"

Neymar e Mbappé em chegada do PSG (LOIC VENANCE/AFP/Getty Images)

Por Tiago Leme, de Paris

Depois de gastar milhões na temporada anterior com reforços como Neymar, Mbappé, Dani Alves e Berchiche e entrar na mira da Uefa por causa do fair play financeiro, o Paris Saint-Germain ainda não abriu os cofres nesta janela de transferências. Com isso, jovens jogadores vindos das categorias de base estão ganhando espaço neste início de campeonato. Nos dois primeiros jogos do Francês, sete atletas com no máximo 20 anos entraram em campo.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

E o jovem mais famoso deles, o francês agora campeão do mundo Kylian Mbappé, com apenas 19 anos, mostrou humildade em seu discurso mesmo depois de brilhar na Rússia e colocou o brasileiro Neymar como a estrela maior do elenco parisiense.

“Ele (Neymar) é um superstar, mais do que eu. Eu ainda não estou neste nível. Ele trabalhou muito em Barcelona para chegar até aqui. Tem muitas estrelas no PSG. Minha carreira está apenas começando e eu tenho grandes ambições no clube e na seleção”, disse Mbappé, após a vitória do PSG sobre o Guingamp por 3 a 1, no último sábado, fora de casa.

Na ocasião desta declaração, o camisa sete tinha saído do banco de reservas no intervalo, quando o Paris perdia por 1 a 0, mudou o panorama da partida, fez dois gols e garantiu a vitória em seu retorno à equipe após a Copa do Mundo. Neymar, de pênalti, também deixou a sua marca.

Mas se Mbappé já está em um patamar mais elevado mesmo tão novo, outros garotos tentam mostrar serviço para o técnico alemão Thomas Tuchel desde a pré-temporada na Ásia. Cinco jovens já tiveram chance como titulares nessas duas primeiras rodadas do Francês: os laterais Dagba (19 anos) e N’Soki (19 anos), os meio-campistas Bernede (19 anos) e Nkunku (20 anos) e o atacante Timothy Weah (18 anos). Além deles, o meia Diaby (19 anos) entrou no segundo tempo. Todos eles são revelados pelas categorias de base do PSG.

Weah, filho do ex-atacante liberiano George Weah, que brilhou no Milan nos anos 90, inclusive fez o terceiro gol da vitória sobre o Caen por 3 a 0. Nkunku, que está no clube da capital da França desde os 13 anos, começou a ganhar oportunidades já na temporada passada, após a lesão de Neymar.

Tim Weah comemora seu gol na estreia do Francês (TF-Images/Getty Images)

Nas próximas partidas, com o retorno de outros jogadores que disputaram o Mundial da Rússia e ainda aprimoram a forma física, como Cavani e Kimpembe, ou a possível chegada de reforços, a disputa por vagas deve ficar mais acirrada. Por enquanto, a única grande contratação para esta temporada foi o goleiro veterano Buffon, que estava livre no mercado após deixar a Juventus. A outra novidade é o zagueiro alemão Thilo Kehrer, ex- Schalke 04, que veio para compôr o elenco.

Enquanto as contratações não chegam e a diretoria fica atenta ao excesso de gastos por causa do fair play financeiro da Uefa, os jovens do Paris Saint-Germain vão tentando ganhar espaço e podem dar uma cara nova ao time, que sonha em conquistar o título da Champions League.

“Eles (jovens) mereceram jogar porque trabalharam duro durante as últimas semanas, com uma boa mentalidade. Eles melhoram constantemente, e é normal eu colocá-los para jogar, confio neles. Eles só precisam estar prontos para jogar pela equipe principal e, na minha opinião, eles estão. Nós devemos tentar”, resumiu o técnico Thomas Tuchel.

Neste sábado, o PSG volta a campo pela terceira rodada do Campeonato Francês, contra o Angers, no Parque dos Príncipes, às 12h (horário de Brasília).

Leia mais:
– 
Vidal: ‘Com VAR, o Bayern teria mais duas Champions’
– 
Alunos ganham ‘ponto extra’ ao usarem camisa do Palmeiras
– 
Leonardo quer Paquetá e Maidana no Milan

2 Minutos com Nicola – Copa do Brasil ou Libertadores?