Sem responder a perguntas, Pacheco faz pronunciamento para defender corte de gastos e respeito à oposição

THIAGO RESENDE E RENATO MACHADO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), defendeu propostas da equipe econômica para corte de despesas públicas. Pacheco fez um pronunciamento à imprensa logo após confirmação de sua vitória, mas não respondeu a perguntas. Ele voltou a dizer que é necessário adotar medidas em três áreas: saúde pública, desenvolvimento social e crescimento econômico. Pacheco afirmou que a vacina contra a Covid-19 precisa chegar rapidamente todos brasileiros. Na área econômica, ele listou propostas apresentadas pelo ministro Paulo Guedes (Economia) em 2019 como parte de uma solução rápida a ser apresentada para que o impulsionar o crescimento econômico. As medidas preveem corte de gastos obrigatórios, como redução de despesas com servidores, em momentos de aperto nas contas públicas. "Tudo isso será feito com o mais amplo e absoluto diálogo, respeitoso, com os demais Poderes, inclusive com o Poder Executivo", disse, lembrando que ele foi eleito com partidos aliados e de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "O amplo leque de aliados que tivemos nessa candidatura e no sucesso dela [...], de partidos da base de governo, mas também de partidos da oposição, de maiorias e de minorias, de esquerda e de direita, nós temos a obrigação de conduzir de maneira democrática, de maneira respeitosa, com respeito às divergências, buscando sempre os consensos", discursou. Em aceno a partidos de esquerda, ele prometeu colocar em votação uma proposta para que seja criada a liderança de oposição no Senado, aos moldes do que há na Câmara.