Sem sabatina prevista, André Mendonça pode desistir de nomeação ao STF

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • André Mendonça
    Advogado e pastor presbiteriano brasileiro
BRASILIA, BRAZIL - APRIL 29: President of Brazil Jair Bolsonaro reacts during the sworn in ceremony for newly appointed Justice Minister André Luiz Mendonça and new brazilian Attorney General Jose Levi Mello amidst on the coronavirus (COVID-19) pandemic at the Planalto Palace on April, 29, 2020 in Brasilia. Brazil has over 71,000 confirmed positive cases of Coronavirus and has over 5,000 deaths. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
André Mendonça foi indicado por Jair Bolsonaro ao STF em julho, mas não foi sabatinado até o momento (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
  • Senadores e ministros do STF acreditam que André Mendonça vá desistir da indicação para integrar a Corte

  • Indicado em julho por Bolsonaro, Mendonça não tem previsão para ser sabatinado no Senado

  • Governistas acreditam que desistência de Mendonça seja a melhor opção, para blindar Bolsonaro

Senadores e ministros do Supremo Tribunal Federal acreditam que André Mendonça deve desistir da candidatura à Corte. As informações são da colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

A indicação foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 13 de julho, mas, até o momento, o nome não foi colocado em votação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado pelo presidente do órgão, Davi Alcolumbre.

Leia também

Segundo a Folha de S. Paulo, mesmo os governistas acham que a melhor opção é que Mendonça desista, para poupar Bolsonaro de um desgaste de uma possível rejeição do nome do ex-AGU.

Bolsonaro sinalizou que não tomará a iniciativa de retirar a indicação, especialmente em função da pressão feita pelos evangélicos, parte importante da base de apoio do presidente. Bolsonaro havia prometido que indicaria um ministro “terrivelmente evangélico”.

Mendonça ainda resiste à ideia de retirar a candidatura. A ideia é tentar forçar o Senado Federal a votar a indicação de Jair Bolsonaro.

Os senadores resistem ao nome de André Mendonça por alguns motivos. O primeiro é evitar que mais um bolsonarista integre a Corte, que já conta com o ministro Kassio Nunes Marques. Além disso, parlamentares entendem que Mendonça é alinhado com o lavajatismo, uma ameaça para diversos políticos.

Para ser aprovado para integrar o STF, André Mendonça precisaria ser sabatinado pela CCJ e, depois, pelo plenário do Senado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos