Sem se opor à Copa América no Rio, Paes critica a competição: “Meio inoportuno neste momento”

·2 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - NOVEMBER 29: Eduardo Paes, candidate for mayor of the city of Rio de Janeiro for the Democratic Party (DEM) gestures after voting in Sao Conrado neighborhood on November 29, 2020 in Rio de Janeiro, Brazil. The city of Rio de Janeiro goes through a second round of municipal elections for Mayor in which Eduardo Paes of the Democratic Party (DEM) faces the current mayor of Rio de Janeiro and candidate for reelection, Marcelo Crivella of the Republicanos (Republicans) party. (Photo by Alexandre Loureiro/Getty Images)
Segundo Eduardo Paes, prefeitura não foi consultada pelo governo estadual sobre a Copa América ser realizada na capital do Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images)
  • Eduardo Paes disse que momento é inoportuno para realizar Copa América no Rio de Janeiro

  • Segundo o prefeito, governo estadual não fez consulta antes de aceitar ser estado-sede da competição

  • Paes não vê sentir em aceitar outros torneios de futebol e não a Copa América

Mesmo aceitando a realização da Copa América na cidade do Rio de Janeiro, o prefeito da capital, Eduardo Paes, fez críticas à competição. Segundo Paes, o momento á inoportuno para receber o torneio.

“Nós não pedimos Copa América. A Prefeitura do Rio não tem absolutamente nada a ver com a decisão de realizar jogos da Copa América no Brasil. Se perguntarem minha opinião, acho que é meio inoportuno neste momento um grande campeonato desses”, afirmou durante coletiva de imprensa para apresentar o 22º Boletim Epidemiológico da covid-19 na cidade.

Ao mesmo tempo, Paes afirmou que não pode proibir a realização apenas da Copa América, já que o Rio também está recebendo jogos de outros campeonatos, com a Libertadores e Brasileirão.

Leia também

“Agora, também eu não vou fazer uma coisa só contra a Copa América. Está tendo jogos da Libertadores, está tendo jogos do Brasileirão, série A, B e D em todos os estádios de futebol sem torcida”, disse o prefeito.

Os dados apresentados por Paes e pela equipe de saúde do município nesta sexta-feira (4) mostram que todos os bairros do Rio de Janeiro têm alto risco de contaminação. Caso a situação se agrave ainda mais, os decretos em vigor na cidade podem mudar. Paes ainda ressaltou que não será permitido que os jogos da Copa América recebam torcida.

“O que tem é o seguinte: já há um decreto em vigor, com validade até o dia 14 de junho, e trabalhamos e torcemos para que continue em vigor, que permite a realização de jogos de futebol no Rio de Janeiro sem torcida. Não vai ter convescote - sabe aquela coisa de trazer patrocinadores e amigos do poder? Isso não está permitido. O que está permitido é colocar 22 jogadores em campo sem torcida. Eu não sei nem quando é o jogo aqui no Rio da Copa América, mas se até lá a situação se agravar e o decreto mudar, vai mudar e acabou”, declarou o prefeito.

O estado do Rio de Janeiro aceitou ser um estado-sede e receber os jogos da competição internacional. Segundo Paes, a prefeitura não foi consultada. “Até agora não houve nenhuma consulta formal à Secretaria de Saúde. O que eu imagino, é que eles (a Conmebol) estejam se guiando pelo decreto em vigor na cidade, que permite a prática de jogos de futebol sem torcida - ainda há pouco mesmo tivemos dois Fla-Flus.”