Sem surpresas, Trump ganha no Alasca, mas não altera vitória de Biden

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos EUA, Donald Trump, foi declarado vencedor, nesta quarta-feira (11), na votação no Alasca, um estado tradicionalmente republicano. A vitória era esperada já que Trump abriu uma ampla margem contra o democrata Joe Biden na apuração dos votos —56,9% contra 39,1%. Com os delegados do estado, o republicano chega a 217 votos no Colégio Eleitoral. Biden, seu adversário, soma 279, nove a mais que o mínimo necessário para ser declarado presidente eleito dos EUA. Três estados seguem com 98% das urnas apuradas e ainda sem definição de um vencedor. No Arizona, Biden aparece à frente com 49,43% dos votos contra 49,04% de Trump. Na Geórgia, o democrata também está na liderança, contra 49,52% contra 49,23% do atual presidente. Na Carolina do Norte, Trump lidera com 50% dos votos contra 48,7% de Biden. Na prática, ainda que o republicano confirme a vitória no estado e vire o jogo na Geórgia e no Arizona, o resultado da eleição seguirá inalterado, com Biden vencedor. Um triunfo nesses estados, entretanto, deve ser usado por Trump em sua empreitada de contestações judiciais do processo eleitoral. O republicano contraria evidências ao acusar os democratas de se beneficiarem de fraudes em votos enviados pelo correio.