Sem-teto é confundido com cadáver em maca de hospital em SC

Confundido com cadáver, o sem-teto, na verdade, aproveitou uma das macas do estacionamento do Hospital Santa Isabel para dormir. (Foto: Getty Images)
Confundido com cadáver, o sem-teto, na verdade, aproveitou uma das macas do estacionamento do Hospital Santa Isabel para dormir. (Foto: Getty Images)
  • Sem-teto dormia em uma maca na área externa de uma unidade de saúde em Blumenau, Santa Catarina, foi "confundido" com um cadáver

  • A confusão começou após uma foto do homem coberto com uma manta azul viralizar nas redes sociais na última terça-feira (7)

  • No entanto, o homem, que vive em situação de rua, aproveitou uma das macas do estacionamento do Hospital Santa Isabel para dormir

Um homem em situação de rua que dormia em uma maca na área externa de uma unidade de saúde em Blumenau, Santa Catarina, foi "confundido" com um cadáver. A confusão começou após uma foto do homem coberto com uma manta azul viralizar nas redes sociais na última terça-feira (7).

Nas publicações, os internautas denunciavam um suposto descaso do serviço de saúde catarinense. No entanto, o homem, que vive em situação de rua, aproveitou uma das macas do estacionamento do Hospital Santa Isabel para dormir.

Em um vídeo que circulou nas redes nesta quinta-feira (9), é possível ver dois funcionários abordando o homem. Ele se levanta, pega o cobertor e deixa o local.

Segundo o UOL, os homens que aparecem no vídeo são da abordagem social do município. Eles foram acionados pela própria unidade hospitalar.

Em nota, o hospital informou que é comum algumas pessoas dormirem na área externa do prédio que fica na região central da cidade.

O hospital também lamentou o fato da pessoa que fotografou o suposto corpo não tenha conversado antes com os responsáveis para se informar melhor.

População de rua cresce

O aumento de pessoas vivendo em situação de rua também é registrado em outras cidades brasileiras. Para se ter ideia, o número de pessoas vivendo nas ruas em São Paulo passou de 24.344 para 31.884 ao final de 2021.

O número que representa um aumento de 7.540 pessoas ou 31%, conforme o Censo da População em Situação de Rua, efetuado pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) da prefeitura.

O levantamento começou a ser elaborado depois do início da crise sanitária mundial deflagrada pela pandemia de covid-19 e suas consequências socioeconômicas.

O recenseamento, que havia sido feito em 2019, só teria de ser repetido, conforme prevê a legislação municipal, em 2023, mas foi antecipado para atender às necessidades de oferecer respostas rápidas para apoiar essa população.

Segundo a prefeitura, dos 31.884 identificados no censo, 19.209 foram recenseados quando estavam nas ruas, e outros 12.675 enquanto estavam abrigados nos Centros de Acolhida da rede socioasssistencial do município.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos