Sem tratar de conexões com a milícia, Bivar defende ministra do Turismo

Sem tratar do conteúdo de reportagens que mostram a ligação da ministra do Turismo, Daniela do Waguinho (União-RJ), com acusados de integrar milícias, o presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar (PE), defendeu nesta quinta-feira a sua colega de partido. Em nota, Bivar diz que a escolha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela deputada foi "acertada".

Fabinho Varandão: Mais um acusado de chefiar milícia tem conexão com a ministra do Turismo

Em cinco pontos: Entenda as acusações e suspeitas envolvendo a ministra do Turismo de Lula

"O União Brasil conhece a competência e confia na capacidade de gestão da ministra do Turismo, Daniela Carneiro, a deputada federal mais votada do Rio de Janeiro. Uma escolha acertada do presidente Lula para conduzir a política de turismo no país rumo ao desenvolvimento econômico e social", escreveu Bivar.

Nesta quinta-feira, O GLOBO mostrou que outro acusado de chefiar uma milícia fez campanha e pediu votos para a ministra do Turismo. Fábio Augusto de Oliveira Brasil, o Fabinho Varandão, réu na Justiça sob a acusação de comandar um grupo paramilitar que monopoliza o sinal clandestino de TV e internet e a venda de gás de cozinha em dez bairros de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, participou de caminhadas, eventos em clubes e de um comício da então candidata a deputado federal na cidade, em setembro de 2022.

Em 2022: Mulher de miliciano atuou como cabo eleitoral da ministra do Turismo, Daniela Carneiro

Todas as atividades foram em locais que, segundo o Ministério Público do Rio (MP-RJ), são dominados pelo grupo de Varandão. "Orgulho em dizer que a nossa querida deputada federal Daniela do Waguinho foi anunciada como a nova ministra do Turismo pelo nosso presidente Lula", postou ele numa rede social após a ministra ser anunciada pelo presidente Lula.

O miliciano Juracy Alves Prudêncio, o Jura, também fez campanha para Daniela e ganhou cargos na prefeitura. O ex-policial militar, condenado a 22 anos por homicídio, entregou santinhos ao lado da ministra numa passeata na Baixada Fluminense em 2018. Na época, Jura estava preso em regime semiaberto, mas conseguiu autorização da Justiça para sair da cadeia para trabalhar e ganhou o cargo de Diretor do Departamento de Ordem Urbana na prefeitura de Belford Roxo.