Sem UTIs, governo de MS envia pacientes a outros estados: 'Temos sido pouco colaborativos', diz secretário

·2 minuto de leitura

RIO — Com o sistema de saúde em colapso, o governo de Mato Grosso do Sul realiza triagem nesta segunda-feira (7) para definir os nomes de outros 15 pacientes com Covid-19 que serão transferidos para hospitais de São Paulo. O encaminhamento de doentes vem ocorrendo desde a semana passada, quando começaram a faltar vagas nas unidades de terapia intensiva (UTIs). Até o momento 14 pessoas infectadas pelo coronavírus foram levadas para a capital paulista e para Porto Velho, em Rondônia.

A taxa de ocupação de UTIs no estado é de 109% nesta segunda-feira, de acordo com o secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende Pereira. Ainda há 271 pacientes na fila de espera. Segundo o secretário, a solução mais imediata para lidar com a crise é a transferência de doentes para estados onde há hospitais com leitos disponíveis.

— Nós aceitamos a ajuda humanitária e vamos encaminhar cinco pacientes para a cidade de São Paulo e mais dez para São Bernardo do Campo, cinco em UTIs e cinco em leitos clínicos. Estamos fazendo a triagem para verificar quem deve ser levado. Depois vamos enviar a documentação para os ministérios da Saúde e da Defesa, para solicitar o avião da FAB — disse o secretário.

A falta de leitos de UTI começou na última quarta-feira (2). Na ocasião, a primeira paciente, moradora de Bonito, foi encaminhada para Porto Velho. Nos dias seguintes, outras oito pessoas foram levadas de UTI aérea para a capital rondoniense.

No sábado (5), cinco pacientes foram levados para São Paulo em um avião da FAB. Dois deles eram de Campo Grande e três de Maracaju. Enquanto os doentes eram levados com urgência para outros estados, moradores das duas cidades se aglomeravam em festas.

Na madrugada de sábado, a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul encerrou uma festa de casamento em Maracaju. A cerimônia reuniu centenas de pessoas e tinha como atração a dupla sertaneja Jads e Jadson. Em Campo Grande, a Guarda Municipal interditou um bar onde ocorria a gravação de um DVD. Havia mais de 300 pessoas no local.

— Espero que essa crise possa pelo menos mexer com a capacidade cognitiva das pessoas em Mato Grosso do Sul, principalmente dos jovens que estão achando que são imortais. Temos sido pouco colaborativos e precisamos fazer mais para evitar a propagação do vírus. Inclusive mudar hábitos culturais, como o de compartilhar narguilé e cuias de chimarrão e tereré — disse o secretário.

Vacina

A vacinação contra Covid-19 foi suspensa em Campo Grande nesta segunda-feira. De acordo com o secretário Geraldo Resende Pereira, o motivo é a falta de imunizantes disponíveis.

— Está prevista para hoje a chegada de 30.420 doses da Pfizer. Vamos enviá-las para os municípios assim que chegarem e até amanhã a vacinação será retomada — afirmou o secretário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos