Seminário contra intolerância religiosa tem debates e shows de Grande Rio e Mangueira

Artistas de escola de samba

Para celebrar o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado nesta terça-feira, as escolas de samba Grande Rio e Mangueira irão se apresentar num show na Cinelândia, Centro do Rio, a partir das 18h. A atração encerra o III Seminário sobre Liberdade Religiosa, Democracia e Direitos Humanos. O evento, que tem início às 9h, ocorre no Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF), com entrada gratuita.

As mesas expositivas irão ter temas como "Política, Religião e Democracia", "Religiões no campo dos Direitos", "Religiões nos Meios de Comunicação" e "Intolerâncias no Século XXI", na qual participarão como debatedores Martinho da Vila, Selminha Sorriso, Haroldo Costa e Helena Theodoro.

Haverá, ainda, a exibição do filme "Nosso Sagrado", o lançamento do livro "Marchar não é caminhar: interfaces políticas e sociais das religiões de matriz africana no Rio de Janeiro" de autoria do babalawô e professor da UFRJ Ivanir dos Santos, além da apresentação artística de As Ruths com a performance intitulada "As Desmedidas".

 

No encerramento, além das agremiações do carnaval carioca, cantam Altay Veloso, pastor Kleber Lucas, Coro Bieniais & Prim, cantora Varda e maestro Haroldo Goldfarb. Em 2020, a Grande Rio leva para a Sapucaí o enredo "Tata Londirá: o canto do caboclo no quilombo de Caxias", onde vai tratar de religiosidade e intolerância. A verde e rosa, com "A verdade vos fará livre", traz um Jesus Cristo que vive nos tempos atuais.

O evento é organizado pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) e pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR). Além disso, conta com o apoio do Ministério Público Federal (MPF), além de outras instituições.