Senado americano volta a se reunir para certificar vitória de Biden

·1 minuto de leitura
O vice-presidente americano, Mike Pence, preside a sessão no Congresso antes da invasão de manifestantes

O Senado dos Estados Unidos voltou a se reunir nesta quarta-feira e retomou o processo de certificação da vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais, depois de uma pausa de várias horas devido à invasão do Capitólio por parte de apoiadores de Donald Trump que protestavam contra a derrota do republicano nas urnas.

Na reabertura da sessão, o vice-presidente Mike Pence lamentou "um dia obscuro" e condenou a violência dos manifestantes.

"Mesmo depois da violência e vandalismo sem precedentes neste Capitólio, os representantes eleitos do povo dos Estados Unidos se reúnem novamente neste mesmo dia para defender a Constituição", destacou Pence.

Uma multidão de partidários de Trump invadiu o Capitólio durante várias horas nesta quarta-feira, o que obrigou os congressistas a serem confinados e pressionou a capital americana a declarar um toque de recolher na cidade.

O líder dos republicanos no Senado, Mitch McConnell, afirmou na retomada da sessão que a Câmara "não se deixaria intimidar".

"Tentarão perturbar nossa democracia e falharam", declarou.

O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, afirmou que os atos desta quarta, provocados "pelas palavras, as mentiras" de Trump, deixarão "uma mancha que não será apagada facilmente".

mlm /ec/lb/am