Senado dos EUA chega a acordo sobre o uso de armas

Senadores Democratas e Republicanos aprovaram este domingo em Washington um "acordo mínimo" para aumentar a regulamentação no acesso a armas de fogo.

A proposta prevê mais investimento na saúde mental nas escolas e mais restrições a quem compra armas. Jovens com menos de 21 anos só vão poder comprar uma arma depois de avaliados psicologicamente e depois de uma verificação de antecedentes criminais por parte das autoridades.

Além disso, o acordo diz também que a polícia poderá "confiscar temporariamente" a arma a quem tem um historial de agressor de violência doméstica.

É o primeiro passo que se dá no controlo do uso de armas nos EUA depois dos inúmeros tiroteios dos últimos meses. Uma resposta àquem daquela que Joe biden defendia.

Mesmo assim, o presidente norte-americano agradeceu, no twitter, ao senador democrada Chris Murphy, o qual dirigiu a proposta que milhões de pessoas esperavam ser aprovada.

“Quero agradecer ao senador Chris Murphy e ao grupo bipartidário pela sua proposta de segurança de armas. A proposta não responde a tudo o que eu acho ser necessário, mas reflete passos importantes na direção certa.", escreveu Biden.

O chamado "acordo bipartidário" deverá tornar-se lei ainda este mês. Se o acordo levar a uma promulgação de legislação, isso sinalizaria uma mudança de anos de massacres com armas que sempre redundaram num impasse no Congresso.

O tiroteio na escola primária em Uvalde, Texas, parece ter marcado um ponto de viragem na agenda de posse de armas no país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos