Senado dos EUA confirma Merrick Garland como procurador-geral

·1 minuto de leitura
O Senado dos EUA confirmou o ex-juiz Merrick Garland como procurador-geral

O Senado dos Estados Unidos confirmou nesta quarta-feira (10) como procurador-geral o candidato indicado pelo presidente Joe Biden, o veterano juiz Merrick Garland, que há quatro anos foi vetado pela Câmara Alta como juiz da Suprema Corte.

Com ampla margem de 70 votos a 30, o Senado confirmou o juiz para assumir o Departamento de Justiça.

Entre os 20 republicanos que votaram a favor da confirmação estava o senador Mitch McConnell, que em 2016, como líder da bancada da maioria, bloqueou a indicação feita pelo presidente democrata Barack Obama para colocar Garland na Suprema Corte.

Garland, 68, é um juiz respeitado com tendências moderadamente progressistas. Antes de ser nomeado magistrado há 24 anos, ocupou um cargo importante no Departamento de Justiça.

Na audiência de confirmação, Garland disse que lutar contra o extremismo doméstico seria sua "primeira prioridade" se confirmado como procurador-geral.

Levando em consideração eventos como a tomada do Capitólio por apoiadores do ex-presidente republicano Donald Trump em 6 de janeiro, Garland afirmou acreditar que a radicalização de extrema direita está pior agora do que quando ele investigou em 1995 um ataque a bomba em um prédio público em Oklahoma City que deixou 168 mortos.

O magistrado também prometeu que o Departamento de Justiça ficará livre de interferências políticas, ao contrário do que aconteceu durante o governo Trump, segundo críticos.

Garland afirmou também ser uma tarefa "urgente" garantir justiça igual para minorias e negros, em uma aparente referência ao movimento de luta contra o racismo Black Lives Matter.

cl-an/gma/am/mvv