Senado prorroga CPI da Covid por mais 90 dias a partir de agosto

·1 minuto de leitura
Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do servidor do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Fernandes Miranda, e de seu irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) (Pedro França/Agência Senado)
Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do servidor do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Fernandes Miranda, e de seu irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) (Pedro França/Agência Senado)

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), formalizou nesta quarta-feira a prorrogação da CPI da Covid na Casa por mais 90 dias a partir de 7 de agosto, ao ler requerimento de extensão do prazo assinado por 34 senadores, 7 a mais do que o mínimo exigido. 

  A prorrogação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) chegou a ser colocada em dúvida, apesar do apoio de parlamentares. Pacheco vinha dizendo que faria uma análise da prorrogação ao final do prazo de funcionamento do colegiado. 

Leia também

  O tema chegou a ser objeto de ação levada ao Supremo Tribunal Federal (STF) por senadores, pedindo que a Corte assegurasse a prorrogação. 

  Nesta semana, no entanto, o presidente do Senado afirmou que promoveria a leitura do requerimento —requisito necessário para efetivar a extensão do prazo— nesta semana caso houvesse a perspectiva de recesso parlamentar, algo que tornou-se provável diante da previsão de votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022 no plenário do Congresso Nacional. 

  A CPI foi instalada pelo Senado em abril por determinação do STF para apurar supostas omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia. 

  (Reportagem de Maria Carolina Marcello) 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos