Senado vai destruir documentos sigilosos obtidos na CPI da Covid

BRASÍLIA — O Senado vai destruir documentos sigilosos obtidos pela CPI da Covid a respeito das produtoras Brasil Paralelo e da empresa OPT Incorporadora, investigadas pela comissão. A medida cumpre uma decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que acatou o pedido da defesa das duas empresas.

A destruição dos documentos acontecerá em uma cerimônia fechada no Senado, na tarde de sexta-feira. Representantes da Brasil Paralelo e da OPT Incorporadora vão acompanhar a destruição através de uma transmissão ao vivo fechada. Quem estará presente presencialmente são servidores da Coordenação de Comissões Especiais, Temporárias e Parlamentares de Inquérito (Coceti), da Secretaria de Tecnologia da Informação (Prodasen) e da Secretaria de Polícia (Spol).

O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-MG), e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), não haviam sido informados sobre a destruição dos documentos até a noite desta quinta-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos