Senador defende CPI ampla sobre atos golpistas e centrada em fatos, não pessoas

***ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP - BRASIL - 21.03.2022 -  Cerimônia de filiação do senador Alessandro Vieira ao PSDB, que contou com a presença do governador de São Paulo, João Dória e do presidente nacional do partido, Bruno Araujo.  (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO - SP - BRASIL - 21.03.2022 - Cerimônia de filiação do senador Alessandro Vieira ao PSDB, que contou com a presença do governador de São Paulo, João Dória e do presidente nacional do partido, Bruno Araujo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O senador Alessandro Vieira (PSDB-SE), que vai na contramão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e defende uma CPI sobre os atos golpistas do dia 8, diz que "as investigações devem ser feitas sobre fatos, não sobre pessoas". Vieira rebateu nas redes sociais o petista, que se opôs à ideia na quarta-feira (18) em entrevista à GloboNews.

"É natural que todas as esferas de poder, inclusive as Forças Armadas, tenham sua conduta avaliada de forma sóbria e objetiva", afirma o senador, que vê chance concreta de instalação da CPI na Casa e nega estar mandando recado ao Executivo ao falar em apuração ampla. "Foi a mesma postura que tive na CPI da Covid."

No Twitter, Vieira afirmou que "nenhum presidente gosta de CPI, mas ela existe como uma ferramenta constitucional da minoria justamente para investigar aquilo que o governo não quer. Foi assim com todos, inclusive Bolsonaro".