Senador diz que jornalista sequestrado em Roraima deve estar sendo 'vítima das suas palavras'

Julia Lindner
·2 minuto de leitura

O senador Telmário Mota (PROS-RR) afirmou que o jornalista Romano dos Anjos, vítima de sequestro em Boa vista e encontrado vivo nesta terça-feira, "deve estar sendo vítima das suas próprias palavras". Em gravações enviadas pelo Whatsapp, Telmário chama o profissional da imprensa de 'mau caráter', 'bandido' e 'mentiroso safado'. Também afirma que não lamentaria a sua morte, caso ocorresse.

— Quanto à vida dele, é claro que eu quero, peço a Deus que salve, mas dizer 'não, ele é gente boa'? Não, ele é mau caráter. Para mim, se o cabra não presta, pode até morrer, não vou dizer 'ah, coitadinho, morreu'. Não. Se não presta, não presta. Acabou — disse o parlamentar em uma das gravações.

Segundo a imprensa local, Romano foi sequestrado na própria casa. Ele foi encontrado horas depois, ferido, e teve as pernas e braços quebrados, de acordo com a Polícia Civil.

Os áudios de Telmário foram divulgados inicialmente pela revista Crusoé e confirmados pelo GLOBO. Após a divulgação, o senador afirmou que quis dizer que, mesmo se o jornalista morresse, "continuaria a dizer que ele não presta". Ele reiterou todas as declarações.

— Não é porque ele morreu que eu vou dizer que ele é bom, não. Isso que eu disse. Eu não disse 'ah, ele não presta, pode morrer' — esclareceu ao GLOBO.

Em outra gravação, Telmário reclama que o jornalista tentou associá-lo a investigações sobre desvios na saúde pública do Estado nos últimos dias. O senador do PROS também é investigado na operação na qual o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi flagrado com dinheiro na cueca. Telmário nega qualquer envolvimento com irregularidades.

— A semana inteira tentou induzir que participei de roubo na saúde. Aí vou ficar de hipocrisia? Para mim ele é um indivíduo mau caráter, bandido, deve estar sendo vítima das suas próprias palavras. Se de fato ele foi sequestrado que deus tenha pena dele e salve a vida dele, mas não sou hipócrita — disse.

Nos áudios, o parlamentar afirmou, ainda, que o jornalista deve ser comparado a um "bandido de favela" e que "ninguém tem pena" de bandido.

— Não vejo ninguém aqui se manifestar com pena de bandido que até matam. Qual é a diferença que todo dia fala mentira, calúnia e difamação? — questionou o senador.

Em outra fala, Telmário reclama de "injustiças" que sofreu de Romano dos Anjos ao citar matérias jornalísticas feitas pelo profissional da imprensa. O senador defende que haja uma investigação para atestar a veracidade do sequestro. Ele afirmou que o caso "tem muitas interrogações".