Senador do PT pede impeachment de Bolsonaro por reunião com embaixadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O líder da minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN), protocolou nesta quarta-feira (20) mais um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por conta da reunião com os embaixadores no Palácio da Alvorada.

Ele aponta crime de responsabilidade pelo uso do canal público, a TV Brasil, para o presidente fazer ataques ao sistema eleitoral brasileiro e às instâncias do Poder Judiciário.

O senador afirma ainda que as declarações de segunda-feira (18) configuram comportamento incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo, também passível de penalização pela lei do crime de responsabilidade.

O senador argumenta que as ilações feitas por Bolsonaro não têm base concreta e que a suposta solução, o voto impresso, já foi analisada e rejeitada pelo Congresso Nacional.

"Em que pese estar no pleno exercício do poder, o presidente denunciado não teve maioria política para sequer aprovar a emenda constitucional sobre a matéria, não podendo colocar em dúvidas questões que não conseguiu resolver pelo viés político", afirma no pedido.

Este é o 144º pedido de impeachment protocolado contra Bolsonaro. A decisão sobre dar andamento ou não cabe ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que vem ignorando as reclamações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos