Senador rebate médica e diz que estudos citados por ela foram arquivados por falta de evidências

·1 minuto de leitura
BRASÍLIA, DF, 01.06.2021: NISE-YAMAGUCHI - A médica Nise Yamaguchi presta depoimento à CPI da Covid, no Senado, sobre a sua atuação junto ao governo federal em defesa da cloroquina e da hidroxicloroquina, em Brasília, nesta terça. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 01.06.2021: NISE-YAMAGUCHI - A médica Nise Yamaguchi presta depoimento à CPI da Covid, no Senado, sobre a sua atuação junto ao governo federal em defesa da cloroquina e da hidroxicloroquina, em Brasília, nesta terça. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Durante sessão da CPI da Covid, nesta terça-feira (1º), o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) questionou a base científica dos estudos apresentados pela médica Nise Yamaguchi em defesa da hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19.

Vieira questionou em quais revistas científicas conceituadas os estudos em defesa da cloroquina foram publicados. A médica não soube responder, mas então citou um estudo realizado pela Fundação Henry Ford.

"A informação que eu tive é que foi publicado, tem um lastro científico e que tem ajudado os pacientes", disse a médica.

Em seguida, no entanto, o senador afirmou que esse estudo havia sido "descontinuado" por falta de evidências científicas, em dezembro do ano passado.

"É inaceitável um profissional de alta qualidade rejeitar estudos qualificados e tentar valorizar estudos que foram encerrados", afirmou o parlamentar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos