Senadores questionam segurança do celular de Trump

(Arquivo) O senador americano Tom Carper

Dois senadores americanos pediram detalhes sobre a segurança do smartphone do presidente Donald Trump, alegando que ele pode colocar em risco alguns segredos nacionais se continuar usando seu antigo telefone celular, como indicam relatórios.

"Trump recebeu no dia 20 de janeiro ou antes um smartphone seguro e codificado para seu uso pessoal? Se isso aconteceu, ele está utilizando o aparelho?", perguntou nesta terça-feira em um tuíte o senador Tom Carper, que junto a sua colega democrata Claire McCaskill divulgou uma carta à administração na qual pede informações sobre o dispositivo do presidente.

"Trump deveria ser muito consciente do apropriado e necessário protocolo para garantir os segredos de nosso país", acrescentam.

A carta dos dois legisladores, com data de 9 de fevereiro, foi enviada ao secretário de Defesa, James Mattis, ao de Segurança Interior, John Kelly, e ao diretor da Agência de Segurança Nacional (NSA), Michael Rogers.

Os senadores publicaram a carta na noite de segunda-feira. Disseram que estavam preocupados com os relatórios que indicam que Trump segue utilizando para suas frequentes mensagens pessoais no Twitter um dispositivo Android de vários anos de antiguidade.

O The New York Times informou no mês passado que, embora Trump tenha recebido um aparelho novo e seguro após iniciar seu mandato, ainda seguia confiando em seu velho telefone, contrariando a opinião de seus assessores.

O artigo do jornal provocou uma enxurrada de comentários de especialistas em segurança, que argumentam que, ao usar seu telefone celular antigo, o presidente corre muitos riscos.

Nicholas Weaver, do International Computer Science Institute de Berkeley, Califórnia, advertiu no mês passado que "o uso permanente por Trump de seu perigosamente inseguro e obsoleto dispositivo Android deve causar autêntico pânico".