'Senti que deveria ajudar', diz estudante que fez parto dentro de ônibus na Barra da Tijuca

Com nome de anjo, o pequeno Miguel já veio ao mundo com uma história para contar, fruto de um pequeno milagre. Depois de nascer dentro de um ônibus da linha 862 (Rio das Pedras - Barra Shopping) na tarde desta segunda-feira, o menino agora é o xodó da família e da madrinha, a estudante de Técnicas de Enfermagem Gerlaine Santos, que ajudou no parto do garoto dentro do coletivo.

Carnaval 2023: Império faz declaração de amor a Arlindo Cruz na abertura dos ensaios técnicos do Grupo Especial

Passaporte para a folia: Ainda há ingressos para arquibancada e cadeiras nos desfiles do grupo especial

O caso ocorreu no fim da tarde desta segunda-feira, quando a passageira Camila de Souza Santos entrou em trabalho de parto ainda dentro do veículo. Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível observar a comoção e emoção dos passageiros que testemunharam o caso. O veículo parou em frente ao Hospital Municipal Lourenço Jorge para que mãe e criança pudessem receber atendimento.

No seu segundo mês como aluna do curso de Técnica de Enfermagem, a estudante Gerlaine Santos, agora madrinha de Miguel, precisou ser ágil e aplicar os conhecimentos durante o parto inesperado.

— Eu tava indo para o trabalho no ônibus quando eles entraram, ela já entrou se queixando de fortes dores e foi se sentar, eu fiquei um tempo observando de longe. Quando o ônibus estava passando ali pela altura do Shopping Downtown, a bolsa dela estourou e foi aí que senti que deveria ajudar — afirmou.

Policial é procurado: Advogado é preso após polícia frustrar plano para transferir Rogério 157 para presídio do Rio

A estudante afirma que foram momentos decisivos, mas que a ajudaram a aplicar conhecimento que até então eram apenas teóricos.

— Começou uma mobilização no ônibus inteiro, eu me levantei porque senti essa sensação de que deveria ajudar colocando na prática o que eu estava aprendendo. Foi muito intenso, porque eu nunca tinha feito nada parecido antes, quem dirá um parto, mas graças a Deus todos ficaram bem e deu tudo certo. Hoje de manhã, fui visitá-los no hospital e me chamaram para ser madrinha. É uma honra, sem falar que é muito legal poder fazer parte dessa família que pude ajudar — lembrou.

'Ele estudou para quê? Para ser bicho, monstro ou médico?', diz vítima de anestesista preso

Gerlaine não foi a única a praticar atos heroicos durante a história inesperada. Marcelo Carvalho, motorista da linha 862, desviou a rota e levou a mãe, o bebê e o pai para o CER Barra, no Hospital Lourenço Jorge.

— Eu só fiz o meu trabalho. O que achei mais bonito foi ver aquilo tudo acontecendo. Dentro do ônibus, naquele calor, e uma criança nascendo. Graças a Deus tinha uma mulher lá que podia ajudar e deu todo o atendimento a ela. Eu só precisei ir até o Lourenço Jorge. Foi uma função maravilhosa testemunhar isso tudo acontecendo e poder levá-la até o hospital foi uma benção — afirmou Marcelo.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a mãe da criança, o bebê e o pai, que chegou a desmaiar durante o parto, foram atendidos pela equipe de plantão. Todos passam bem e a mãe deve ter alta nesta quarta-feira.