Sepe-RJ se reúne com Ceciliano e Serafini para discutir piso nacional do magistério

A direção do Sindicato dos Profissionais da Educação do Estado do Rio (Sepe-RJ) se reuniu na última terça-feira (dia 1º) com o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputado André Ceciliano, e o presidente da Comissão de Educação, Flávio Serafini, para tratar de reivindicações da categoria. Entre os pontos abordados, esteve a falta de previsão para o pagamento dos pisos nacional do magistério para os professores e regional para os funcionários da educação estadual.

Segundo a entidade, Ceciliano confirmou que até sexta-feira (dia 4 ) serão apresentadas emendas ao Projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) do estado e que o Sepe será convidado para discutir as propostas quando elas entrarem em pauta.

O presidente da Alerj também afirmou que até a segunda quinzena de novembro dois vetos do governador Cláudio Castro devem voltar à discusão: o do projeto de lei dos ex-servidores da Fundação de Apoio à Escola Pública (FAEP) – que previa a transferência deles da Secretaria de Educação para a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) – e a proposta dos Animadores Culturais – que incluiu a categoria no Plano Estadual de Ensino.

Ainda segundo o Sepe, o presidente da Comissão de Educação, deputado Flávio Serafini, informou que houve um acréscimo de 11% na previsão orçamentária enviada pelo governado para a Segurança e uma redução de 7% do orçamento para a Educação.

Na reunião a entidade também abordou a situação dos funcionários administrativos que, segundo o sindicato, estão recebendo salários abaixo do piso regional, complementados por uma gratificação para equipará-los ao valor do mínimo nacional.

"Qualquer reajuste ou reposição de perdas mexe na gratificado sem, na prática, mudar o poder aquisitivo desta parcela da categoria. Destacamos a importância de assegurar o pagamento do salário mínimo regional para todos os funcionários administrativos", informou o Sepe.