Sequestro em BH: homem usou arma de airsoft e faca para manter criança e jovem reféns

O sequestrador possuía uma arma de airsoft, seis cartuchos de espoleta airsoft, sendo um deflagrado, e a faca que estava na cintura dele. (Foto: Reprodução)
O sequestrador possuía uma arma de airsoft, seis cartuchos de espoleta airsoft, sendo um deflagrado, e a faca que estava na cintura dele. (Foto: Reprodução)

Leandro Mendes Pereira, de 39 anos, sequestrador que manteve o ex-enteado, de 7 anos, e um jovem reféns na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, usou uma faca e uma réplica de arma de fogo.

Após mais de 16 horas, as vítimas foram liberadas sem ferimentos, nesta quinta-feira (22). O sequestrador foi morto por um atirador de elite da polícia, dando fim ao sequestro.

Durante este período, segundo informações do boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), a princípio, acreditava-se que Leandro estava com um revólver calibre 38.

Mas, após o homem ser baleado por um sniper - os agentes de segurança entraram no imóvel e encontraram uma arma de airsoft, seis cartuchos de espoleta airsoft, sendo um deflagrado, e a faca que estava na cintura dele.

Após a liberação das vítimas, a major Layla Brunnela, porta-voz da corporação, informou que o homem chegou a ameaçar a criança.

"O processo de negociação não evoluiu, havia essa ameaça real, ele teve informações externas da ex-mulher que fez com que ele ficasse ainda mais nervoso e ameaçasse diretamente a vida desse menor. Nós utilizamos o sniper. A gente lamenta muito, não é o desfecho que a gente gostaria, mas foi o desfecho possível para salvar a vida desses reféns, da criança e do jovem de 23 anos", explicou Layla.

Após ser atingido, Leandro foi socorrido em estado grave e segue internado no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII.

O caso

Na última quarta-feira (21), por volta das 18h, Leandro invadiu a casa da ex-namorada e armado fez duas pessoas de refém no bairro Parque São Pedro, região de Venda Nova, em Belo Horizonte. Entre os reféns estava o filho de 7 anos da ex-namorada do suspeito e um amigo da mulher.

Leandro não estaria aceitando o fim do relacionamento com a namorada, que ocorreu há dois meses. A mulher, de 25 anos, conseguiu fugir da casa e ligou para a polícia.

A Polícia Militar foi acionada e equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) tentaram uma negociação para que o sequestrador se rendesse, o que não foi possível. Ele exigia a senha do celular da ex-companheira e a presença dela dentro da residência, o que, por questão de segurança, não foi aceito.

Após 16 horas de negociações, por volta das 10h15, um atirador de elite da Polícia Militar baleou o homem. A criança e o jovem foram retirados da casa em seguida. O menino foi levado pelos pais, que esperavam em um carro da Polícia Militar.