Será que seu cão precisa da companhia de outro animal de estimação?

Yahoo Notícias International

Se você tem um cachorro e um emprego, é provável que seu animal de estimação fique sozinho em casa por até 10 horas todos os dias. É natural imaginar se ele se sente solitário ou se ficaria mais feliz tendo uma companhia.

É assim que você imagina o dia do seu cão enquanto você está no trabalho? (Stocksy)

Entretanto, quando surgiu a notícia de que um produto com uma campanha de financiamento coletivo no site Indiegogo - um pequeno aquário de mesa chamado EcoQube C - poderia ser a solução perfeita para que um cão se sentisse menos sozinho ou entediado, foi impossível não pensar: será que um cachorro precisa de um animal de estimação?

A resposta rápida, dada por Debra F. Horwitz, veterinária comportamental certificada pela American College of Veterinary Behaviorists, nos Estados Unidos, e autora do livro ‘Decoding Your Dog’, é um claro e retumbante não.

É improvável que cães considerem qualquer nova adição à casa como seus animais de estimação, Horwitz explica, mas podem vê-los como companheiros. No entanto, é improvável que eles se importem com um peixe, já que ele não oferece nenhuma possibilidade de interação social.

“Os cães são curiosos por coisas que se movem, coisas com um cheiro característico, e coisas que os tornam mentalmente ativos. Eu suspeitaria que alguns cães até podem achar que assistir a um aquário é algo divertido, mas realmente duvido que eles considerariam o peixe um companheiro, embora possam assistir ao movimento,” Horwitz diz com uma risada.

Os cães, assim como os humanos, são indivíduos com um leque próprio de preferências que podem envolver fatores como deixar a TV ligada o dia todo ou ficar com a casa em silêncio, ter um animal como companhia ou ficar sozinho, e gostar ou ficar totalmente indiferente a um pequeno aquário (com uma tendência bem maior para esta última opção).

Uma maneira mais eficaz de alegrar seu cão é garantir que ele faça exercícios e atividades que promovam o desenvolvimento mental. Horwitz explica que os exercícios não precisam ser muito físicos, mas devem ser adaptados à idade e raça do cachorro, com uma ênfase em permitir que eles parem para cheirar o que quiserem durante o passeio. Para promover o estímulo mental, ela sugere explorar alguns dos muitos quebra-cabeças e brinquedos de distribuição de alimentos para cães presentes no mercado.

“Cada cão é um indivíduo. Quando nós observamos o que eles fazem quando ficam sozinhos, descobrimos que a maioria dos cães adultos não faz nada… Mesmo quando o dono está em casa, eles preferem espalhar e juntar a comida a comer direto da tigela, pois é isso que eles estariam fazendo se não tivessem a sorte de ter quem cuidasse deles,” Horwitz diz.

Se você está pensando em dar um companheiro ao seu animal de estimação, Horwitz ressalta a importância de levar as necessidades e preferências individuais dele em consideração. Simplesmente trazer um novo animal para dentro de casa não irá resolver problemas comportamentais que seu cão possa ter.

“Estudos tentaram analisar este tema, mas no momento não há evidências de que cães que ficam ansiosos quando os donos saem de casa ou realmente têm um diagnóstico de transtorno de ansiedade de separação sejam ajudados de alguma maneira pela presença de outro animal de estimação. Na verdade, pode ser que ocorra exatamente o contrário,” Horwitz diz.

Se o seu cão fica ansioso quando você o deixa sozinho em casa, consulte seu veterinário ou um veterinário comportamental certificado. Horowitz explica que é preciso descobrir se o que ele está experimentando é apenas um pouco de estresse emocional quando você sai, ou se é algo mais sério, que continua durante todo o tempo em que ele fica sozinho. Se for o segundo caso, seu cão “realmente precisa de uma intervenção e de um programa de modificação de comportamento, ou talvez até de medicação.”

Courtney E. Smith