'Será um dia muito especial para a História do país', diz Lula ao votar

Vestido de branco, o candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) votou na manhã deste domingo de segundo turno em seu berço político, São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O petista manteve a tradição que existe desde 1989 e foi às urnas na Escola Estadual Firmino Correia de Araújo.

— O povo está decidindo o modelo de vida que quer, por isso hoje é o dia mais importante da minha vida. Estou convencido de que o brasileiro vai votar em um projeto em que a democracia seja vencedora, um projeto em que a gente possa resgatar as pessoas que estão com fome — disse Lula.

Lula estava acompanhado da mulher, Rosângela da Silva, a Janja, do candidato a vice Geraldo Alckmin (PSB), do candidato do PT ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), da deputada federal eleita Marina Silva e do deputado federal André Janones (Avante-MG).

Pesquisa Ipec divulgada no sábado mostra Lula com 54% dos votos válidos contra 46% do presidente Jair Bolsonaro (PL). Já a Datafolha indica o petista com 52% dos votos válidos e Bolsonaro, 48%.

— Para mim é um dia gratificante e para muita gente será um dia muito especial para a História do Brasil — disse o petista, cercado por aliados, apoiadores e gritos de "Lula lá".

Apesar de morar em São Paulo, Lula não mudou o antigo local de votação. O ex-presidente morou por décadas na cidade de São Bernardo do Campo, onde começou sua carreira política como presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, na década de 1970..

Ao votar neste domingo, Lula comentou ainda o evento ocorrido na tarde de sábado, em que a deputada federal Carla Zambelli correu armada atrás de um homem nos Jardins, região nobre de São Paulo.

— É a demonstração de uma ignorância, de falta de respeito à democracia. Foi uma cena grotesca, como se a gente estivesse no Velho Oeste — afirmou.

Em seguida, o petista deve passar o resto do dia em casa, onde também acompanhará a apuração dos votos ao lado de aliados próximos e integrantes da campanha. No primeiro turno, Lula viu a contagem de votos em um hotel no Centro de São Paulo.

Agora, a ideia é que ele só vá para o hotel para fazer o pronunciamento depois que a apuração estiver encerrada.