Sergio Camargo reage às declarações de Spike Lee, que chamou Bolsonaro de 'gângster'

·2 minuto de leitura

Presidente da Fundação Cultural Palmares, Sergio Camargo reagiu em suas redes sociais às declarações de Spike Lee, de que chamou Bolsonaro, Trump e Putin de "gângsteres" na abertura 74ª edição do Festival de Cannes. De férias, Camargo compartilhou na noite de terça a reportagem de O GLOBO com a seguinte legenda: "Há vários tipos como Spike Lee no Brasil. Acham que são a 'consciência da raça negra'. Só se for da raça dos vagabundos militantes!".

Mais cedo, Camargo merncionou o curta "3 brothers" ("Três irmãos"), lançado no ano passado por Lee em apoio ao movimento Black Lives Matter. Na obra, o diretor comparou a morte de George Floyd e Eric Garner à de Radio Raheem, personagem de seu filme "Faça a coisa certa" (1989), que, na trama, desencadeia uma série de protestos numa vizinhança negra do Brooklyn, em Nova York.

"Spike Lee lançou um curta em apoio aos saques, atos de vandalismo, agressões e assassinatos do Black Lives Matter, movimento que finge combater o racismo.É um hipócrita que defende vagabundos e pretos racistas. Qualquer ataque dele a Bolsonaro soa como elogio. Ele é um bandido!", escreveu Camargo. "Está liberado chamá-lo de bandido, marginal, vagabundo...uma vez que chamou um chefe de Estado de gângster, um insulto também a todos os eleitores e apoiadores do PR".

Lee é o primeiro negro convidado a presidir o júri do festival francês. O diretor de "Malcolm X" e "Infiltrado na Klan" citou o ex-presidente americano e os do Brasil e da Rússia em em seu discurso de abertura: "Este mundo é governado por gângsters. O Agente Laranja (Donald Trump), o cara do Brasil (Bolsonaro) e o (presidente russo Vladimir) Putin. Eles são gângsteres e farão o que quiserem. Eles não têm moral nem escrúpulos".

Durante a cerimônia de abertura da 74ª edição do Festival de Cannes, nesta terça-feira (6), o cineasta americano Spike Lee chamou o presidente Jair Bolsonaro de "gângster" ao discursar. "Este mundo é governado por gângsters., O Agente Laranja (Donald Trump), o cara do Brasil (Bolsonaro) e o (presidente russo Vladimir) Putin. Eles são gângsteres e farão o que quiserem. Eles não têm moral nem escrúpulos", disparou o realizador de filmes como "Faça a coisa certa", "Malcolm X" e "Infiltrado na Klan".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos