Sergio Moro encara semana decisiva para decolar em candidatura ao Senado

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Inicialmente, Sergio Moro pretendia se candidatar à presidência, mas vai concorrer ao Senado pelo Paraná (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Inicialmente, Sergio Moro pretendia se candidatar à presidência, mas vai concorrer ao Senado pelo Paraná (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Sergio Moro (União Brasil) deve ter uma semana decisiva: o principal oponente do ex-juiz na corrida pelo Senado pode deixar a disputa e, assim, Moro poderia disparar como favorito ao primeiro cargo público de votação popular.

Álvaro Dias estuda ser candidato à presidência da República e, assim deixaria o caminho livre para o ex-ministro da Justiça. Na convenção do Podemos, na manhã do último domingo (31), o partido convidou Álvaro Dias para concorrer ao Palácio do Planalto.

A resposta do senador foi que ele decidiria até o fim dessa semana – no dia 5, todas as candidaturas devem ser registradas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Moro e Álvaro Dias foram correligionários por alguns meses. O ex-juiz se filiou ao Podemos em novembro de 2021 e pretendia se candidatar a presidência. Meses depois, foi para o União Brasil, onde encontrou resistência para concorrer ao cargo mais alto do Executivo. O ex-juiz tentou se candidatar por São Paulo – assim como fará a esposa dele, Rosângela Moro, pré-candidata a deputada federal pelo estado –, mas foi vetado pela lei eleitoral. Assim, Moro teve de voltar ao seu estado originário, o Paraná, pelo qual deve concorrer ao Senado.

Segundo a pesquisa RealTime Big Data, divulgada em 21 de julho, Sergio Moro está em primeiro lugar nas intenções de voto, com 30%. Álvaro Dias aparece em segundo, com 26%. Com a margem de erro de três pontos, há um empate técnico entre eles. Além disso, há um alto número de pessoas que não sabem ou não responderam, de 16%. Outros 11% pensam em anular ou votar em branco.

Os outros candidatos aparecem atrás, com distância relevante: Dr. Rosinha (PT) é o terceiro, com 7%, enquanto Paulo Martins (PL) tem 5%. Os outros estão ainda mais distantes.

Sem Álvaro Dias na concorrência, Sergio Moro poderia ter o caminho livre para se eleger ao Senado e conseguir o primeiro cargo público por meio de votação popular. Após ganhar notoriedade pela atuação na Operação Lava Jato, Moro foi nomeado por Jair Bolsonaro como Ministro da Justiça e da Segurança Pública.

O caminho do ex-juiz ficará mais claro após a decisão de Álvaro Dias. Em 2018, o senador foi candidato à presidência e teve 0,8% dos votos, com 859.574 votos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos