Sérgio Reis: ‘não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo. Não sou mulher’

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Cantor e ex-deputado será investigado por ataques ao STF. Foto: Reprodução
Cantor e ex-deputado será investigado por ataques ao STF. Foto: Reprodução
  • Cantor diz se arrepender de mensagem que viralizou, mas que apoia manifestações

  • Para ele, haverá uma grande paralisação no 7 de setembro

  • Ex-deputado também comentou prisão de Roberto Jefferson

Após gerar polêmica nos últimos dias por convocar uma greve de caminhoneiros nas vésperas do 7 de setembro para atacar o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF), o cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis foi alvo de duras críticas.

Ainda mais sério, membros do Ministério Público Federal (MPF) pedindo uma investigação sobre as declarações.

No entanto, a posição de Reis não mudou. “Se não fizer uma paralisação, não muda esse país”, declarou em entrevista ao jornal O Globo. Além disso, foi além e disse não temer ser preso. “Eu não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem”, disse.

Ainda assim, o ex-deputado afirma se arrepender de ter gravado o áudio. “Eu estava conversando com um amigo. Era tudo brincadeira. Ele postou no grupinho dele e aquilo foi para fora. E isso me prejudicou muito”, contou. “Eu me arrependo demais de ter falado com um amigo. Amigo da onça, sabe como é.”

Leia também:

Na busca por uma posição mais moderada, ele diz que defende manifestações pacíficas, “sem brigas” e que “não temos que quebrar nada”.

Ele prevê ainda que “no dia 7 de setembro, vai ter essa mobilização. Uma movimentação muito grande na [avenida] Paulista. Uma movimentação muito grande em Brasília. Brasília vai fechar”.

O deputado prevê que, com isso, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) terá “condições de fazer alguma coisa” em relação ao STF. “Essas coisas que os ministros estão fazendo prejudicam muita gente. Soltar bandido? Isso não pode. Ou a lei é cumprida ou não é. Eu não sou juiz. Eu sou um cara do povo. Como povo, eu acho que tinha que ter o impeachment”, opinou Reis, sem detalhar ações que ele considera irregulares.

Reis também afirmou não ter ligação direta com o presidente e que nunca falou mal de ministros.

Perguntado pelo O Globo sobre a prisão de Roberto Jefferson, que também realizou ataques às instituições democráticas, Reis afirmou que Jefferson “mete boca”.

“Só que ele tem conhecimento. É um cara bem posicionado, presidente de partido. É um cara que tem muita experiência. Já foi preso várias vezes. E ele sabe o que os caras estão fazendo. Não ia falar isso tudo de graça. E aí ele mete a boca”, disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos