Apesar do frio, eleições russas têm alta afluência no início da votação

Moscou, 18 mar (EFE).- A afluência às urnas nas eleições presidenciais que ocorrem neste domingo na Rússia está sendo bem maior que a dos últimos pleitos, com 16,55% dos eleitores já tendo votado em todo o país até as 10h (hora local; 4h em Brasília) frente aos 6,53% de 2012, segundo informou a Comissão Eleitoral Central (CEC).

"Às 10h de Moscou (duas horas depois do início da votação), a participação nas eleições presidenciais de 2000 era de 6,36%; em 2004, de 9,01%; em 2008, de 8,94%; e em 2012, de 6,53%. Nesta ocasião, é de 16,55%", disse a presidente do CEC, Ela Panfilova.

Quanto a Moscou, duas horas depois das abertura dos centros de votação, 5,98% dos eleitores já tinham votado. Em 2012, esse número era 3,7%.

Isso tudo apesar do frio que domina a capital russa neste domingo, com média de -10 graus Celsius, algo totalmente incomum para o mês de março.

Segundo todas as pesquisas, o presidente Vladimir Putin receberá o apoio de 70% dos eleitores e será reeleito, mas as autoridades buscam a maior participação possível para enaltecer essa vitória.

Para isso, nos centros de votação foram organizadas atividades festivas e diversos tipos de atrações para adultos e crianças.

Conforme visto pela Agência Efe nesta manhã, em um centro de votação no bairro de Park Kultury de Moscou, uma voluntária vestida de vermelho atendia crianças na entrada enquanto os pais entravam para votar. Também eram dados balões com as três cores da bandeira russa - branco, azul e vermelho - enquanto uma pessoas vestida de tucano dava as boas-vindas ao local.

No hall de entrada, um xadrez gigante estava à disposição de quem quisesse jogar uma partida, enquanto em outro canto um aposentado ensinava as regras do jogo a uma criança de sete anos.

Enquanto em Moscou mal começou a jornada eleitoral, em regiões do Extremo Oriente, como a península de Kamchatka e a região de Chukotka os colégios já fecharam.

Cerca de 110 milhões de russos estão convocados às urnas nestas eleições, nas quais, além de Putin, outros sete candidatos concorrem sem nenhuma possibilidade real de ganhar. EFE