Servidor da prefeitura é exonerado após contestar trabalho presencial na Secretaria de Meio Ambiente

Lucas Altino
Fachada do prédio da Prefeitura

RIO - Enquanto o governador Wilson Witzel e o prefeito Marcelo Crivella adotam medidas de restrição do convívio social e circulação da população, a própria prefeitura parece não estar fazendo seu dever de casa. Nesta sexta, foi publicada no Diário Oficial a exoneração do géografo Brasiliano Vito do cargo de gerente de monitoramento da biodiversidade da Secretaria municipal de Meio Ambiente (Smac). Segundo funcionários da pasta, a decisão teria sido tomada depois do servidor ter contestado o esquema de rodízio de trabalho presencial da equipe, mesmo após um funcionário ter sido afastado justamente por ter apresentado sintomas do Covid-19.

Desde a sexta-feira da semana passada, quando a pandemia tomou maiores proporções no Brasil, a prefeitura vem adotando protocolos de retrição de movimento da população e de seus próprios funcionários, liberando home-office e afastamento de servidores de grupos de risco. Assim, cada secretaria — excetuando as estratégicas — deveria regulamentar seu próprio esquema, de acordo com necessidade.

A Smac decidiu realizar um rodízio: cada metade da equipe alternaria em escalas, entre trabalho remoto e presencial. O alerta dos funcionários, porém, se acendeu na última segunda, quando um servidor, que teria tido contato com vários outros da pasta, deixou o trabalho por apresentar sintomas do vírus e, desde então, entrou em quarentena. A Smac fica no 12º andar da sede funcional da Prefeitura, na Cidade Nova, e conta com cerca de 100 funcionários.

Assim que a notícia do afastamento do funcionário - que não se tem notícia sobre se foi testado ou não - se espalhou, muitos servidores questionaram a manutenção do esquema de rodízio. O gerente Brasiliano Vito teria sido o porta-voz dos descontentes, e contestado a chefia. O clima interno, segundo funcionários, é de hostilidade, perseguição e falta de transparência.

— No momento em que todos pedem para as pessoas ficarem em casa, a secretaria está mantendo cerca de 20 a 30 pessoas trabalhando no mesmo andar, mesmo após presença de um provável infectado. É muita irresponsabilidade, o que me espanta é o descaso com a saúde pública e com a saúde dos servidores — afirmou um funcionário da pasta, que pediu para não se identificar.

Segundo os servidores, chama a atenção a falta de notícias acerca do estado de saúde da pessoa que entrou em quarentena com sintomas do Coronavírus.

— Devido ao silêncio da chefia, imagino que ele esteja de fato contaminado. Não houve atitude de transparência — afirmou um outro funcionário da Smac.

Nesta sexta, a prefeitura publicou, em Diário Oficial, a exoneração de Brasiliano Vita do cargo de gerente de monitoramento de biodiversidade. Em seu lugar, outra pessoa já foi nomeada. Ademais, o esquema de rodízio foi oficializado numa resolução da Smac, que diz que servidores de grupo de risco devem ser afastados. Já os outros "deverão exercer suas atividades alternando entre o regime especial de trabalho remoto e presencial, em escala estabelecida a critério da chefia imediata, por 15 (quinze) dias corridos, prorrogáveis por igual período".

O que diz a Secretaria

Procurada, a Smac negou que a exoneração tenha ocorrido em virtude da contestação do geógrafo. De acordo com a pasta, a mudança já estava programada antes da crise e não se tem conhecimento de nenhum servidor infectado com coronavírus. Confira a nota na íntegra:

"Não é verdade que a exoneração do servidor em questão tenha sido motivada por conta de contestação das medidas de rodízio implementadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Essa mudança já estava programada antes da crise e faz parte da reestruturação de alguns setores da secretaria. Já fizemos outras mudanças antes e teremos mais mudanças nos próximos dias. Tratam-se de cargos comissionados de livre nomeação e exoneração. A secretaria agradece o período em que Brasiliano Vito ocupou o cargo e agora dará a oportunidade para outro servidor desempenhar essa função., concluiu o órgão.