Servidores aposentados do INSS começarão a fazer análise de benefícios no final de maio

Stephanie Tondo
Militares da reserva e aposentados das demais carreiras federais poderão atuar nas atividades de atendimento aos segurados e apoio administrativo

Os servidores aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que se inscreverem para voltar à ativa temporariamente irão começar a analisar os pedidos de benefícios entre os dias 28 de maio e 5 de junho. Eles serão o primeiro grupo a ser convocado para ajudar a reduzir a fila de processos da autarquia. Ainda não há previsão para início das atividades dos médicos peritos e militares aposentados.

O edital para a convocação e seleção dos servidores inativos da União e dos militares da reserva para atuar no INSS deve ser publicado ainda esta semana, segundo informações conseguidas com exclusividade pelo EXTRA. A inscrição deverá ser feita entre os dias 4 e 10 de maio.

No momento da inscrição, o candidato deverá escolher em qual grupo quer concorrer. A análise de benefícios do INSS será feita apenas pelos aposentados da autarquia. Não poderão concorrer servidores inativos de outras carreiras, nem militares.

Confira: INSS é autorizado a contratar 8.230 militares inativos e aposentados

Também haverá vagas para perícia médica, que só poderão ser preenchidas por aposentados das carreiras de perito médico federal, perito médico previdenciário e supervisor médico-pericial.

Militares da reserva e aposentados das demais carreiras federais poderão concorrer às vagas para atuar nas atividades de atendimento aos segurados e apoio administrativo, além de análise da legislação e avaliações atuariais, entre outras.

Aposentados do INSS que atuarem na análise dos benefícios receberão o valor de R$ 57,50 por processo concluído. Já os médicos peritos receberão o valor de R$ 61,72 por perícia realizada.

Esses valores são os mesmos que os servidores ativos do INSS recebem como bônus por produtividade.

Servidores aposentados das demais carreiras federais receberão entre R$ 2.100 e R$ 4.200 por mês, de acordo com a atividade desempenhada.

Já os militares da reserva receberão o adicional previsto na reforma da Previdência das Forças Armadas, que foi promulgada no ano passado. De acordo com a nova lei, o militar inativo contratado para o desempenho de atividades de natureza civil em órgãos públicos em caráter voluntário e temporário faz jus a um adicional de 30% da remuneração que estiver percebendo na inatividade.

A autorizacão para a contratação desses servidores e militares aposentados foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (dia 28).

O objetivo da medida é reforçar o atendimento nas agências da Previdência Social e, principalmente, na análise dos processos, de modo a reduzir o estoque de pedidos de benefícios em atraso no INSS. Atualmente, há mais de 1,3 milhão de requerimentos em análise há mais de 45 dias, que é o prazo legal para a conclusão do processo.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)