Servidores do INSS fazem paralisação e pedem suspensão de portarias que aumentaram jornada de trabalho

·1 minuto de leitura

Servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fizeram paralisações em diversos estados, nesta quarta-feira (8 de setembro), em protesto contra as portarias que acabaram com a jornada de 30 horas, passando-a para 40 horas, no órgão.

À tarde, a Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) se reuniu com o presidente do INSS para negociar a revogação dos textos. Leonardo Rolim adiou uma decisão e marcou novo encontro para sexta-feira, 10 de setembro.

Na reunião, servidores denunciaram más condições de trabalho nas agências da Previdência Social, como internet lenta. Rolim prometeu contratar uma nova plataforma para sanar o problema.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos