Servidores municipais terão reajuste acima de 5% em agosto

Servidores municipais terão recomposição salarial a partir da folha de agosto deste ano, paga em setembro. A Prefeitura do Rio ainda não bateu o martelo, mas fontes ligadas ao prefeito Eduardo Paes confirmaram que o aumento será superior a 5%, possivelmente perto de 7%. A correção será paga a ativos, inativos e pensionistas.

Procurada, a Secretaria de Fazenda e Planejamento informou que os percentuais do reajuste ainda estão sendo estudados.Desde o começo do ano, categorias do funcionalismo municipal vêm pleiteando correção dos salários — o último aumento foi concedido em fevereiro de 2019. No entanto, uma parcela dos servidores ficou insatisfeita com a porcentagem, porque recompõe apenas 1/3 das perdas salariais.

Com o aumento em 7%, por exemplo, o piso, hoje fixado no valor do salário mínimo (R$ 1.212), iria para R$ 1.296,84. Já o teto geral do funcionalismo municipal, de R$ 31.829,15, iria para R$ 34.057,19. No caso do vencimento base dos professores em regime de 40 horas com até 5 anos de rede, o salário de R$ 5.884,30 passaria para R$ 6.296,20, e para a Guarda Municipal em funções de comando, também com até 5 anos, passaria de R$ 3.324,72 para R$ 3.557,45.

A estrutura da recomposição aos servidores, do mês de pagamento ao percentual, teria o DNA do ex-secretário de Fazenda e Planejamento, o deputado federal Pedro Paulo (PSD), segundo uma fonte próxima à Prefeitura do Rio. O parlamentar se afastou do cargo no Rio porque tentará a reeleição para a Câmara dos Deputados em outubro.

A concessão de reajuste aos servidores do Rio a dois meses do pleito deve ser usada na campanha como demonstrativo da recuperação das contas da prefeitura, que hoje comemora superávit histórico. Tudo isso porque, em 2023, a expectativa é que Pedro Paulo retome o posto na secretaria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos