Setor de serviços fica estável em dezembro e fecha ano com maior queda da série histórica, aponta IBGE

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO - Motor do PIB brasileiro, o setor de serviços se recupera lentamente após as perdas provocadas pela pandemia entre fevereiro e maio. Dados divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira mostram que a atividade ficou estável em dezembro frente a novembro. O resultado interrompe os seis meses seguidos de alta e o setor encerra o ano ainda abaixo do patamar pré- pandemia.

Com o resultado, o setor fechou 2020 com queda de 3,8%, após o tombo devido à pandemia do coronavírus e, depois, uma aceleração com o pagamento do auxílio emergencial até o fim do ano.

O resultado veio abaixo da expectativa do mercado. Segundo analistas ouvidos pela Reuters, era esperado uma alta de 0,4% para o último mês do ano.

Muito dependente do contato presencial, o setor de serviços sofreu muito entre março e abril e vem se recuperando gradualmente com a flexibilização de atividades. A expansão é pressionada também pelo limite às operações exigido por normas sanitárias, com redução de ocupação em restaurantes e salões de beleza, por exemplo.

O recrudescimento da Covid-19 a partir de novembro e o ritmo lento de vacinação, porém, dificultam a retomada do setor.