"Sheik Duduzinho Bolsonaro", critica Omar Aziz sobre foto de deputado em Dubai

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Com a filha e a esposa, Eduardo Bolsonaro se veste de 'sheik' em viagem oficial a Dubai e causa polêmica (Imagem: Reprodução/Instagram)
Com a filha e a esposa, Eduardo Bolsonaro se veste de 'sheik' em viagem oficial a Dubai e causa polêmica (Imagem: Reprodução/Instagram)
  • Foto do deputado federal Eduardo Bolsonaro vestido de sheik repercutiu no Senado

  • Omar Aziz criticou a postagem enquanto "milhões de brasileiros estão passando fome"

  • Divulgação de uma foto em que a família está vestida com trajes típicos gerou revolta nas redes sociais

A foto do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) vestido de sheik repercutiu no Senado nesta terça-feira (19). O presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), criticou a postagem feita pelo filho do presidente Jair Bolsonaro enquanto "milhões de brasileiros estão passando fome".

"Ontem, eu vi o sheik Duduzinho Bolsonaro lá, travestido de sheik árabe, enquanto, Duduzinho Bolsonaro, milhões de brasileiros estão passando fome. Esse tipo de acinte. Você deveria ser exemplo, mais do que ninguém! Duduzinho Bolsonaro, o sheik do Brasil, deveria ser exemplo para os brasileiros num momento de tanta tristeza, de tanto sofrimento, de tantas mortes, de pessoas passando fome", disse o parlamentar.

Na segunda-feira (18), Eduardo Bolsonaro já havia sido criticado pela oposição por ter levado a família à viagem de comitiva do governo à Dubai, nos Emirados Árabes. No caso do deputado, ele ainda levou a mulher, Heloísa Bolsonaro, e a filha de um ano. E a divulgação de uma foto em que a família está vestida com trajes típicos da região gerou revolta nas redes sociais.

O caso continuou a repercutir nesta terça. "A pandemia está diminuindo, mas tem uma pandemia que já está sendo vivenciada nos bairros, nos becos, nas ruas, nas cidades brasileiras, que é a pandemia da fome e da miséria. E nós não temos o direito, nenhum parlamentar tem o direito de publicar fotos em que estão numa boa enquanto esses brasileiros estão passando necessidade, Senador Randolfe. É uma falta de respeito!", completou Omar Aziz.

Relatório da CPI pede o indiciamento de 72 pessoas

A reunião desta terça da CPI é a última antes da leitura do parecer final nesta quarta-feira (20). O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da comissão, pediu o indiciamento de 72 pessoas. O Yahoo! Notícias teve acesso à versão preliminar do documento.

Dentre os nomes, estão o do presidente Jair Bolsonaro e de seus filhos: o vereador Carlos Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro.

Além disso, também estão na lista de Calheiros, os ministros Marcelo Queiroga, da Saúde; Walter Braga Netto, da Defesa; Wagner Rosário, da CGU e Onyx Lorenzoni, do Trabalho.

Calheiros começou a distribuir o parecer aos principais membros da CPI da Pandemia. O relator da comissão entregou os exemplares na noite de segunda-feira (18) após a polêmica sobre o vazamento do relatório.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos