Show do Peixe dá boa vantagem no Ranking de Desempenho do Brasileirão


Por Rodrigo Coutinho (@RodrigoCout)

O Santos segue encantando, evoluindo, e se distanciando do Palmeiras no Ranking de Desempenho Yahoo Esportes. A goleada por 6x1 sobre o Goiás, somado ao insosso empate entre Palmeiras e Corinthians em Itaquera, ampliou a vantagem do Peixe na ponta e deu ao time de Jorge Sampaoli a melhor atuação do Brasileirão 2019 até aqui, posto que era do Flamengo, contra o próprio Goiás. A boa atuação do Galo no clássico contra o Cruzeiro fez o Atlético Mineiro ultrapassar o rubro-negro carioca no Ranking. Bahia, Ceará e Fluminense tiveram importantes subidas de produção nesta semana.

(Foto: Montagem)


Corinthians, São Paulo, Goiás e Athletico possuem um jogo a menos, como indicado no asterisco acima. O Yahoo Esportes acompanha todos os jogos e traz uma espécie de “prova real’’. Cada equipe recebe uma avaliação de 0 a 5 estrelas por partida de acordo com seu. Esses pontos se acumulam e formam o ranking acima. Confira agora como foi cada um dos 10 jogos da rodada.


(Foto: Montagem)

Fluminense e Internacional abriram a rodada com um bom jogo no Maracanã. Disputado e equilibrado no 1º tempo, mas com o domínio tricolor na 2ª etapa, período que o time carioca marcou os seus gols e conseguiu converter a maior posse de bola e volume ofensivo em gols. Esta já era uma tentativa dos comandados de Fernando Diniz desde a etapa inicial, tiveram momentos de supremacia, mas o Colorado foi competitivo, principalmente quando adiantava a marcação. No 2º tempo, o Inter perdeu intensidade e levou dois gols em sequência, perdendo a condição anterior.


(Foto: Montagem)

Depois de 26 anos sem se enfrentarem na Série A, Ceará e Fortaleza fizeram um bom jogo na noite de sábado no Castelão. O Vozão mereceu o triunfo, foi bem superior no 1º tempo, aproveitou as muitas falhas defensivas do Leão do Pici e marcou dois gols em menos de 20 minutos. Teve um sistema defensivo muito sólido e tinha agressividade na retomada da bola. Na 2ª etapa, já com o placar mais próximo, o Tricolor foi um pouco superior. Melhorou a articulação de suas jogadas e criou, mas do outro lado tinha um time mais regular e competitivo na partida.


(Foto: Montagem)

Atuação de gala do Santos na manhã de domingo, na Vila. 6x1 e uma atuação que superou a do Flamengo há algumas semanas. Não por coincidência, o adversário foi o mesmo, o Goiás, que mais uma vez se defendeu muito mal. O Peixe é a equipe que mais produz ofensivamente no Brasil hoje, então o resultado retrata perfeitamente o que foi o jogo. O alvinegro se impôs a sua maneira: posse de bola, intensidade, ocupação de espaços e movimentação perfeita. Fez 2x0 antes dos 20 minutos e construiu o placar sem grandes esforços, apenas mantendo a sua forma natural. No fim, Kayke descontou.


(Foto: Montagem)

Jogo basicamente perfeito do Bahia na Fonte Nova. Vitória elástica justa e que poderia ser até maior se tivesse no 2º tempo a mesma eficiência da 1ª etapa. O Tricolor marcou muito bem. Intenso, compacto, impedindo qualquer criação do Flamengo e fazendo o rubro-negro jogar pra trás muitas vezes. Com a bola foi agressivo, direto, rápido nos contra-ataques, e contou com o adversário sem a mesma intensidade. Fisicamente foi um jogo bem desequilibrado.


(Foto: Montagem)

Controle do Botafogo quase que na totalidade dos 90 minutos. Em alguns momentos com a bola, sem ser tão agressivo, mas fazendo o time do Avaí se enervar, e em outros se defendendo muito bem, de forma compacta e com a última linha ‘’inquebrável’’. Não foi preciso atacar tanto para marcar dois gols. O time da casa foi se desestabilizando demais a medida que o tempo ia passando. Até teve volume ofensivo, mas com uma tomada de decisão muito ruim perto da área. Precipitado e nervoso, o Leão ainda terminou a partida com um homem a menos.


(Foto: Montagem)

Poucas chances de gol, muita marcação e limitação coletiva para criar lances de perigo. O empate entre Corinthians e Palmeiras em Itaquera seguiu um roteiro parecido com os últimos duelos entre ambos. O Timão acabou se saindo um pouco melhor no somatório geral, muito pelo predomínio que teve em boa parte da 1ª etapa. Por mais que o Verdão tenha tido dez minutos de superioridade no início e uma grande chance no fim, ficou travado depois de levar o gol, e só foi empatar da mesma forma no início do 2º tempo. Com o placar empatado de novo, pouca coisa de eficiente aconteceu em fase ofensiva para ambos.


(Foto: Montagem)

Ótimo clássico no Independência. Jogo movimentado e emocionante, com o resultado sacramentado só nos acréscimos. O Atlético foi mais time e mereceu a vitória. A partir da metade do 1º tempo adotou a estratégia de se fechar e explorar os contra-ataques. Até então vinha fazendo um jogo de ‘’trocação franca’’ com o Cruzeiro e já era melhor. A Raposa mostrou muita intensidade, buscou o empate até o fim, mas novamente faltou um trabalho ofensivo mais apurado. Acabou sofrendo dois gols em contra-ataques e segue em péssima fase de resultados.


(Foto: Montagem)

Partida em que o Vasco teve a sua principal debilidade de hoje exposta: a dificuldade para construir jogadas. O CSA executou melhor a sua estratégia, que consistiu em se defender, ‘’dar’’ a bola ao Cruzmaltino, e explorar os contra-ataques a partir dos erros do adversário. Fez isso bem até os 25 minutos do 1º tempo e na reta final do jogo. No restante do tempo sofreu pressão, mas o time carioca teve volume e pouca contundência. Mostrou que não tem padrão ofensivo para essas situações. Insistiu em jogadas pelo meio e só criou a partir de individualidades.


(Foto: Montagem)

Jogo aberto, animado e repleto de gols para fechar a rodada em Porto Alegre. A Chapecoense fez possivelmente a sua melhor atuação no campeonato durante 60 minutos, mas recuou demais após conseguir a virada, teve mexidas equivocadas de seu treinador, e viu o Grêmio massacrar no fim. O Tricolor pecou demais na parte defensiva, principalmente nas transições. Nos encaixes também não teve intensidade. Já o Verdão foi bem mais agressivo que em outros jogos, ótimo prospecto para buscar a recuperação na competição.

Seleção do Campeonato

Pela segunda semana seguida não tivemos alterações na seleção do campeonato. Vanderlei segue na meta, mas já está no limite do número mínimo de jogos (40% de todas as rodadas disputadas até então) para integrar a Seleção. Como está no banco no Santos, deve deixar o posto na próxima rodada. Victor Cuesta, Bruno Guimarães e Gabigol não jogaram por motivos diferentes, mas seguem em seus postos. O volante, inclusive, passou a ser o melhor jogador do campeonato com as quedas de produção de Dudu e Everton Ribeiro.

(Foto: Montagem)


Quem voltou a aparecer entre os cinco melhores atletas da competição é o meia Nikão, do Furacão. Está apenas um décimo atrás de Everton Ribeiro, por isso não integra a seleção do campeonato, local que já esteve por algumas rodadas.

(Foto: Montagem)