Sikêra Jr. é absolvido por tribunal após ofender modelo transexual: “Raça desgraçada”

·2 minuto de leitura
Sikêra Jr. fez diversas ofensas à modelo Viviany Beleboni - Foto: Reprodução/RedeTV
Sikêra Jr. fez diversas ofensas à modelo Viviany Beleboni - Foto: Reprodução/RedeTV
  • Tribunal reverteu decisão que havia determinado que apresentador indenizasse a modelo transexual Viviany Beleboni

  • Sikêra Jr. utilizou foto da modelo para retratar um crime cometido por casal de lésbicas

  • Na ocasião, proferiu uma série de xingamentos homofóbicos, mesmo sem qualquer ligação de Viviany com o crime

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) reverteu a decisão em primeira instância que havia determinado que o apresentador Sikêra Jr., da RedeTV, pagasse R$ 30 mil em indenização à modelo transexual Viviany Beleboni. As informações são do colunista Rogério Gentile no UOL.

Viviany ficou famosa em 2015 por representar Jesus Cristo crucificado em uma performance durante a Parada do Orgulho LGBT em São Paulo. O apresentador utilizou uma imagem dela para retratar um crime cometido por um casal de lésbicas.

Leia também

Na ocasião, Sikêra Jr. expôs a foto de Viviany e, mesmo sem ela ter qualquer ligação com o crime, disparou uma série de xingamentos: “Isso é um lixo, uma bosta, uma raça desgraçada”.

Apesar das ofensas homofóbicas e da vitória de Viviany em primeira instância, o desembargador Rodolfo Pelizzari, relator do processo no TJ-SP, considerou que a atitude do apresentador “não foi ilícita”.

Justiça absolveu o apresentador, apesar das falas homofóbicas - Foto: Reprodução/RedeTV
Justiça absolveu o apresentador, apesar das falas homofóbicas - Foto: Reprodução/RedeTV

"Em verdade, a crítica foi dirigida a toda a comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), de forma genérica", avaliou. "A conduta do apresentador não é ilícita, sendo uma mera crítica por entender que sua religião havia sido ofendida por homossexuais, a quem entende serem avessos a Jesus."

Pelizzari defendeu, ainda, que o Estado não tem o direito de censurar a “crítica” de Sikêra, que "pode até ser um equívoco crasso, mas não uma manifestação ilícita do pensamento".

Defesa da modelo relatou ameaças

A defesa de Viviany informou, na ação, que a modelo passou a ser alvo de hostilidade e ameaças após ter a imagem ligada a um crime com o qual não tinha nenhuma ligação. “Ela não se enquadra nos princípios da dignidade da pessoa humana?", perguntou à Justiça a advogada da modelo, Cristiane de Novais, segundo a coluna.

"Ao sair desfilando vestida de Jesus Cristo, deveria ter previsto que tal manifestação chocaria a sociedade", argumentou a advogada do apresentador, Viviane Barros Vidal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos