Silêncio de Bolsonaro após derrota na eleição repercute na imprensa internacional

O silêncio do presidente Jair Bolsonaro (PL) após sua derrota para Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição presidencial repercute na imprensa internacional. A demora em reconhecer a vitória do petista foi destaque nas principais publicações do mundo nesta segunda-feira.

Resultado das eleições: veja a votação para presidente por municípios

Repercussão: Como os jornais internacionais noticiaram vitória de Bolsonaro em 2018, e de Lula, neste domingo?

O "Financial Times" lembra que já se passaram quase 24 horas desde a proclamação do resultado da votação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e até o momento Bolsonaro ainda não reconheceu sua derrota.

"O imprevisível ex-capitão do Exército passou a noite da eleição em silêncio em Brasília depois de perder por apenas 1,8 ponto percentual para seu rival, com reportagens dizendo que ele se recusou a receber assessores próximos", escreveu o Financial Times.

A rede de televisão americana CNN afirma que "a demora do presidente em conceder a corrida contribuiu para o temor de que Bolsonaro não coopere com a transferência de poder". O canal de notícias também ressalta que "alguns dos apoiadores de Bolsonaro ainda estão esperando notícias dele".

De vice para vice: Mourão envia mensagem a Alckmin e reconhece resultado da eleição

O jornal britânico "The Guardian" contrapôs o rápido reconhecimento da vitória de Lula por líderes mundiais com a postura de Bolsonaro. De um lado há as manifestações do presidente dos EUA, Joe Biden, do primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, do líder russo, Vladimir Putin, e do chefe do Partido Comunista da China, Xi Jinping. Do outro, o "radical pró-ditadura que repetidamente deu a entender que pode não aceitar a derrota".

O "Washington Post" afirma que os brasileiros acordaram nesta segunda-feira com uma pergunta familiar aos americanos: o perdedor nas eleições vai ceder?

"Bolsonaro, um aliado próximo do ex-presidente Donald Trump, conhecido por sua retórica inflamada e mensagens quentes nas redes sociais, optou por uma resposta que para ele tem sido extremamente incomum: o silêncio", escreveu o Washington Post. O jornal também questiona se Bolsonaro vai seguir a cartilha golpista de Donald Trump após sua derrota para Joe Biden, nas eleições dos EUA.

O "The New York Times" mantém uma cobertura ao vivo na sua página inicial. O título da publicação destaca que os "brasileiros aguardam resposta de Bolsonaro à sua derrota eleitoral".

"O líder do Brasil ainda não reconheceu a derrota para seu adversário de esquerda no domingo, levantando temores de que ele possa se recusar a aceitar os resultados e desencadear distúrbios", diz o The New York Times.