Simone Tebet admite “não ter estratégia” definida para reta final das eleições

Tebet tem 5% das intenções de voto, segundo último levantamento do Ipec (REUTERS/Adriano Machado)
Tebet tem 5% das intenções de voto, segundo último levantamento do Ipec

(REUTERS/Adriano Machado)

  • Simone Tebet admite "não ter estratégia" para reta final da campanha eleitoral;

  • Candidata afirmou que ela e sua vice seguem fazendo o que sempre fizeram na vida pública;

  • Na ocasião, Tebet voltou a criticar voto útil e celebrou resultados nas pesquisas.

Simone Tebet, candidata à Presidência pelo MDB, disse não ter uma estratégia para a reta final da campanha eleitoral. Ela esteve, na manhã desta sexta-feira (23), no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, em São Paulo, e respondeu às perguntas de jornalistas.

“Não temos estratégia. Eu e a Mara [Gabrilli, candidata a vice] somos isso. Somos mulheres. Sou mãe e professora. Mara, senadora, tendo sido deputada federal. Estamos fazendo aqui o que a gente sempre fez em nossa vida pública”, explicou.

Na ocasião, Tebet voltou a criticar o voto útil, dizendo que “o cidadão brasileiro é dono do seu voto e ele se sente até desprestigiado quando alguém diz: ‘Vamos garantir logo no primeiro turno’. É como se a eleição e os problemas do Brasil acabassem no dia 2 de outubro”, avaliou. Para elas, as pesquisas dos últimos 30 dias mostram que a estratégia, adotada especialmente por Lula (PT), “não está tendo efeito nenhum”.

Questionada sobre seus resultados nos levantamentos, a presidenciável admitiu estar “feliz com a caminhada”, já que ela e sua candidata a vice eram “desconhecidas por 70% do eleitorado e, em menos de 30 dias, isso foi revertido”. Outro ponto positivo para ela é o índice de rejeição, o menor entre os quatro que pontuam as pesquisas.

“Isso mostra que a população quer equilíbrio, moderação e transparência. Vamos até o dia 2 de outubro com a certeza de que o eleitor sabe, na hora que depositar seu voto na urna, será apenas ele e a sua consciência. Ele tem tudo para refletir e dar o seu voto para duas mulheres que querem mudar o Brasil”, concluiu.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: