Simone Tebet trabalhará na área de desenvolvimento social na transição, diz Alckmin

Senadora Simone Tebet participa de ato de campanha para Lula em Brasília

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - A senadora Simone Tebet (MDB-MS) fará parte da transição para o governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva e atuará na área de desenvolvimento social, anunciou nesta terça-feira o vice-presidente eleito e coordenador da transição, Geraldo Alckmin.

"Simone com sua experiência e sua sensibilidade vai trabalhar conosco na área de desenvolvimento social", disse Alckmin a jornalistas em Brasília.

O vice eleito repetiu a fala de mais cedo da presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, de que cargos na transição de governo não implicam em nomeações para o futuro ministério de Lula, que assumirá a Presidência pela terceira vez em 1º de janeiro de 2023.

Tebet foi candidata a presidente pelo MDB na eleição deste ano, sendo a terceira mais votada no primeiro turno. No segundo turno, ela apoiou Lula contra o atual presidente Jair Bolsonaro e teve participação ativa na campanha do petista.

Após anunciar Tebet na transição, Alckmin disse que mais nomes da equipe devem ser anunciados ainda nesta terça.

Na segunda, em sua conta no Twitter, o deputado federal eleito e um dos coordenadores do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Guilherme Boulos (PSOL-SP), disse que atuará na transição nas áreas de habitação e cidades.

"Participarei da equipe de transição de governo para ajudar o presidente Lula no debate sobre a área de cidades e habitação", escreveu Boulos, candidato a presidente em 2018 e à prefeitura de São Paulo em 2020.

Ele acrescentou ainda que estará na transição como presidente da federação partidária formada pelo PSOL com a Rede Sustentabilidade e que o presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, também estará na transição.