Sindicato é contra agendamento para teste rápido de Covid-19 nos servidores da Seap

Camilla Pontes

O Sindicato dos Servidores do Sistema Penal do Rio (SindSistema) enviou um ofício para a Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), pedindo providências em razão do aumento de casos de Covid-19 entre os inspetores penitenciários. Segundo a pasta, 35 servidores estão com a doença e um inspetor faleceu em decorrência da Covid-19.

No comunicado, a entidade solicitou a imediada aplicação do teste rápido para a detecção do novo coronavírus entre os inspetores que lidam com os presos e com os visitantes. A entidade é contra a aplicação do teste rápido mediante o agendamento por telefone. O objetivo é identiicar os trabalhadores que podem estar assintomáticos e colocam em risco os demais servidores, seus familiares e os apenados.

— É da responsabilidade da Seap criar meios de proteger os servidores da contaminação e não tratar com insensibilidade e desfaçatez essa questão. Ao ponto de perseguir os servidores que as denunciam com remoções covardes — reclamou o presidente do SindSistema, Gutembergue Fonseca.

Em nota, a Seap informou que a Secretaria estadual de Saúde disponibilizou mil testes rápidos de Covid-19, que estão sendo realizados desde o dia 4 de abril nos ambulatórios da sede da secretaria e no Complexo e Gericinó, em Bangu, por meio de agendamento telefônico, com prioridade para os servidores que lidam diretamente com os internos nas unidades prisionais.

"É necessário esclarecer, ainda, que os testes são aplicados seguindo os seguintes critérios orientados pela SES: Pessoas que estejam apresentando no 8° dia de sintomas respiratórios ou que já estejam assintomáticas por 72h. Em caso de testar positivo para a Covid-19, o servidor deverá entrar em contato com a sua unidade administrativa para a solicitação do AIM e realizar todos os procedimentos junto à Perícia do Estado", afirmou a secretaria.

A nota também relembrou outras medidas de prevenção que estão sendo tomadas pela pasta, como: distribuição de mais de 150 mil máscaras descartáveis e reutilizáveis e 35 mil luvas cirúrgicas, além de álcool em gel e líquido aos servidores. As unidades prisionais também receberam dois face shields cada, além de mais de 500 óculos de segurança e água sanitária para a intensificação da limpeza; medição da temperatura dos servidores que atuam nas 51 unidades prisionais, por meio de termômetros infravermelhos; instalação de de pias nas unidades e fornecimento de sabão e toalha de papel, para a facilitação e intensificação da lavagem das mãos, com orientação da área técnica da Seap; e 40 inspetores penitenciários receberam instruções dos militares do Comando Militar Leste sobre medidas de proteção e higienização para aplicação no dia a dia nas unidades prisionais.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)