Sindicato das empresas de ônibus do Rio diz ser impossível cumprir ordem para reduzir passageiros

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O Rio Ônibus, sindicato das empresas de ônibus da capital fluminense, emitiu na tarde desta quinta (19) comunicado em que pede ajuda ao poder público para controlar a lotação dos coletivos.

Segundo a nota, o sindicato está trabalhando junto às empresas e ao poder público para controlar embarque e lotação dos ônibus, mas diz ser impossível fazer cumprir determinação da prefeitura de não circular com passageiros de pé sem que haja o apoio das autoridades.

Em entrevista dada à rádio CBN na manhã desta quinta, o prefeito Marcelo Crivella diz estar estudando maneiras de colocar fiscais e guardas dentro dos ônibus para conter a lotação. Segundo relatos no Rio de Janeiro, embora os ônibus, e sobretudo BRTs, estejam saindo para as viagens vazios, no trajeto continuam enchendo, gerando aglomeração de passageiros.