Sindicato defende greve da educação municipal do Rio, mesmo com autorização do retorno das atividades presenciais

Camilla Pontes
·2 minuto de leitura
Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo
Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

Um dia após o prefeito Marcello Crivella anunciar que as escolas e creches municipais do Rio estão autorizadas a retomar as atividades presenciais, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ (Sepe/RJ) divulgou uma nota afirmando que a categoria vai continuar em greve, que foi deliberada em julho.

Para a entidade, os números da pandemia na cidade do Rio continuam altos, a Covid-19 ainda não está controlada e a reabertura pode colocar em risco a vida dos profissionais, alunos, responsáveis e demais integrantes da comunidade.

A reabertura da rede municipal será feita de forma voluntária, segundo a prefeitura, cada unidade escolar deverá tomar a decisão de retomar ou não as atividades após reunião do conselho de pais com os professores e diretores.

"Ao anunciar que as escolas poderão decidir de forma voluntária se abrirão ou não, em plena pandemia, a prefeitura além de descentralizar a decisão, joga todo o peso de uma eventual crise sanitária para a direção e comunidade escolar. O Sepe RJ repudia esta atitude do prefeito Crivella, que desconsidera as evidências da continuidade da circulação do coronavírus e estimula a quebra do isolamento social com o afrouxamento das medidas que são a única forma eficaz de evitar a propagação da Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro", afirmou o sindicato no comunicado.

Leia mais:

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação explicou que a retomada das aulas está seguindo as orientações do Comitê Científico criado pela prefeitura e que está em diálogo com todos os setores envolvidos da área de Educação.

"Os protocolos de segurança indicados pela Vigilância Sanitária serão cumpridos para que seja garantida a segurança da comunidade escolar. Haverá redimensionamento dos espaços utilizados e disponibilização dos produtos necessários para a higienização pessoal e do ambiente escolar".

A pasta está planejando com os coordenadores regionais como será o retorno das aulas presenciais no 9º ano da Rede Municipal e também no último ano do Programa de Educação de Jovens e Adultos no Ensino Fundamental e lembrou que na próxima semana serão feitas reuniões com professores, conselhos de pais e responsáveis, direções de unidades e coordenações regionais para alinhar o retorno.