Sindicato diz que quase 90% dos atletas não concordam com paralisação do Paulista

Diogo Dantas
·1 minuto de leitura

O presidente dos Sindicatos dos Atletas Profissionais de Futebol do Município de São Paulo (SIAFMSP), Washington Mascarenhas, disse a O GLOBO que quase 90% dos atletas dos clubes de futebol não concordam com a paralisação dos jogos no estado de São Paulo.

- Temos mantido contato, e mais de 80, 90% são favoráveis - afirmou Mascarenhas.

O representante disse que através de conversas com os jogadores pode-se concluir que a maioria é a favor de que não houvesse a paralisação, em razão dos protocolos de saúde da Federação Paulista de Futebol.

- A gente enxerga que a federação oferece total suporte, um protocolo de testagem. Tem vários outros aspectos preocupantes com a paralisação. Clubes não têm condição de manter pagamentos em dia, os patrocinadores param de pagar, tem toda uma preocupação - completou o presidente do sindicato.

O argumento da FPF de que os jogos não aumentariam as aglomerações por serem sem público foi repetido pelo Sindicato Municipal.

A Federação Nacional de Atletas de Futebol (Fenafap) disse que mantém a posição divulgada recentemente.

"Após inúmeras manifestações de atletas diretamente conosco, a FENAPAF esclarece que segue atenta às condições de trabalho dos jogadores de futebol no Brasil. É inegável que o momento atual da pandemia gera preocupações crescentes. Contudo, mais uma vez, lembramos que a entidade não explicita ideias personalistas de seus diretores, mas aquelas trazidas pela maioria de nossos representados, que preferem seguir em atividade, respeitando todas as normas de segurança vigentes. Importante lembrar que a maioria dos jogadores de futebol no Brasil está distante de altos salários e que dependem da continuidade de sua profissão para manter a si e seus familiares. Com isso, impossível defendermos providências distintas para uma mesma categoria".