Singapura é o melhor lugar para se viver na pandemia; Brasil aparece na 53ª e última posição

·2 minuto de leitura
Singapura soube combater o vírus (Roslan Rahman/AFP via Getty Images)
Singapura soube combater o vírus (Roslan Rahman/AFP via Getty Images)
  • Singapura ultrapassou Nova Zelândia, que deixou a liderança pela primeira vez

  • Brasil caiu duas posições e é considerado o pior lugar para se viver na pandemia

  • Os dados do ranking são referentes ao mês de abril

Singapura é o melhor país para se viver durante a pandemia da Covid-19. Ao menos é o que garante a última atualização do ranking da Bloomberg, que coloca o Brasil na 53.ª e última posição entre os lugares avaliados.

A lista é baseada em uma pontuação que leva em consideração dados como casos por 100 mil habitantes, taxa de mortalidade, total de óbitos por milhão de habitantes, testagem positiva e população imunizada pela vacina. Os dados da última atualização são referentes ao mês de abril.

Leia também:

Com o país vivendo seu pior momento na pandemia naquele momento, o Brasil caiu duas posições e apareceu em último. A pontuação foi de 39,1, pouco atrás da Polônia, penúltima com 40,6. Logo adiante, está a Argentina, que caiu sete lugares e apareceu em 51º, com 41,4.

Brasil ainda sofre com alta em casos e mortes por Covid (AP Photo/Bruna Prado)
Brasil ainda sofre com alta em casos e mortes por Covid (AP Photo/Bruna Prado)

Como os dados não englobam números de maio, a Índia, que transformou-se no grande epicentro da Covid-19 na atualidade, é apenas a 30ª colocada, com 52,4 pontos. Já os Estados Unidos, que viram o número de casos e óbitos despencar após a vacinação em massa, estão somente em 17º.

O México, que ocupava a “lanterna” desde que a lista foi criada, disparou por conta da maior testagem no país, subiu cinco posições e terminou abril em 48º.

Singapura ultrapassou Nova Zelândia

A liderança também mudou pela primeira vez desde o início da coleta de dados. Singapura deixou para trás a Nova Zelândia após “derrubar a transmissão local a quase zero” e “restringir o programa de quarentena” nacional.

O país asiático soma 79,7 pontos de acordo com as medidas da Bloomberg, contra 79,6 dos neozelandeses. Austrália, Israel e Taiwan completam, respectivamente, os cinco primeiros lugares do ranking.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos