Sispatri 2020: Controladoria vai divulgar data para servidor ativo enviar declaração

Camilla Pontes
·3 minuto de leitura
A Controladoria-Geral do Estado ainda vai definir a data para o servidor ativo enviar a declaração de bens ao Sispatri
A Controladoria-Geral do Estado ainda vai definir a data para o servidor ativo enviar a declaração de bens ao Sispatri

No ano passado, os servidores ativos do estado tiveram que entregar suas declarações de bens e valores ao Sispatri, o Sistema de Controle de Bens Patrimoniais dos Agentes Públicos do Poder Executivo Estadual, assim que acabou o prazo da entrega da declaração do Imposto de Renda à Receita Federal. Segundo a Controladoria-Geral do Estado (CGE RJ), responsável por gerenciar o Sispatri, 93% dos cerca de 190 mil servidores ativos entregaram a declaração de bens em 2019.

Em 2020, com a pandemia de Covid-19, a Receita prorrogou o prazo da entrega da declaração do IR até 30 de junho. E também por conta da pandemia, foi adiada a divulgação do cronograma da entrega anual obrigatória da declaração de bens ao Sispatri. A CGE RJ ainda não bateu o martelo sobre a data que vai começar, disse apenas que será em breve. Alguns servidores, inclusive, já perguntaram ao órgão sobre o tema.

Ao EXTRA, a CGE RJ informou que não haverá grandes mudanças no sistema em relação ao ano passado e o procedimento para envio da declaração será igual. O acesso será feito por meio do Portal do Servidor (http://www.servidor.rj.gov.br) e não será necessário qualquer programa específico para enviar a documentação.

Será possível exportar as informações do Imposto de Renda de 2020, porque assim como funciona o IR, o servidor terá que dizer no Sispatri todos os bens que possui, assim como as fontes de renda, imóveis, dinheiro, títulos de ações, bens móveis, investimentos financeiros, participações societárias, entre outros.

Leia mais:

A Controladoria-Geral, junto com a Secretaria estadual de Fazenda (Sefaz-RJ) e o Proderj, o Centro de Tecnologia de Informação e Comunicação do Estado, vem fazendo reuniões e testes para corrigir e evitar possíveis erros no sistema detectados ao longo do ano, como por exemplo, o site fora do ar por conta do volume de acessos, principalmente no último dia do prazo estabelecido para o envio da declaração no ano passado.

A expectativa do governo é que mais servidores entreguem a declaração dessa vez, porque estão ficando cada vez mais familiarizados com o sistema de envio on-line. A entrega da declaração de bens sempre foi obrigatória, mas antes do Sispatri era feita de forma física, ou seja, o servidor tinha que entregar em papel uma cópia da sua declaração do IR na sua secretaria de origem. Para a CGE RJ, a digitalização desse processo também influenciou no aumento das declarações enviadas.

As regras da obrigatoriedade também seguem as mesmas. Devem enviar a declaração de bens e valores todos os servidores públicos do Poder Executivo estadual na ocasião da posse, durante o exercício (anualmente) e no momento em que deixarem o cargo, emprego ou função pública. Os funcionários comissionados e aqueles que possuem algum vínculo ativo com o Executivo também são obrigados a fazer a declaração.

O Sispatri é um dos mecanismos da Controladoria para a detecção de situações como enriquecimento ilícito de servidores e a identificação de funcionários fantasmas na administração pública.

O servidor ativo que não entregar a declaração no prazo determinado sofrerá sanções previstas na legislação, como abertura de processo administrativo disciplinar contra o agente público, que pode resultar na pena de demissão caso fique comprovado a infração. O mesmo vale para quem declarar informações falsas.

Para quem quiser mais informações, a CGE RJ disponibilizou mais informações e tutorial sobre o Sispatri, com todo passo a passo do sistema, no site https://www.servidor.rj.gov.br/portal-web/ portal/publico/Noticia/detalhar?hdnNoticia=1152.