Sistema do BRT volta a operar após greve de motoristas

Felipe Grinberg
·1 minuto de leitura
Foto: Gabriel de Paiva/04.01.2021

Após um dia de greve dos motoristas, o sistema do BRT voltou a operar no fim da noite desta segunda-feira, segundo a secretária municipal de Transporte Maína Celidonio. O consórcio afirmou por meio de nota que alguns articulados já estão nas ruas e espera normalizar a operação com 100% da frota ainda nesta terça-feira.

A volta do sistema ocorreu horas depois de uma reunião entre os empresário e a prefeitura do Rio, em que Eduardo Paes fez um ultimato para os articulados voltarem a circular. Com a volta da operação, nas próximas semanas o município deve abrir uma mesa de negociação para discutir o equilíbrio econômico do contrato de concessão.

— A paralisação foi orquestrada pelos próprios motoristas, sendo assim, o sindicato só entrou em apoio à sua categoria. E por meio de grupos de Whatsapp decidiram pelo fim da mobilização — diz o motorista Ademir Francisco, que também integra o Sindicato dos Rodoviários.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, voltou a levantar a possibilidade de que a paralisação dos serviços do BRT, desde o início da manhã desta segunda-feira, tenha a participação dos empresários que controlam o sistema, movimento conhecido como "locaute". Segundo o prefeito, o movimento começou a ser detectado durante o fim de semana, mas o próprio consórcio que opera o serviço negou que houvesse risco de paralisação dos serviços.

— A gente vive uma situação emergencial. Nós começamos a identificar esse movimento de greve no final de semana. Buscamos o consórcio BRT, que nos garantiu que não havia qualquer movimento, inclusive eles afirmam que têm um acordo com o sindicato, e eu quero crer, espero, que isso não seja o que a gente costuma chamar de locaute, que é uma combinação entre patrão e empregado para pressionar o Poder Público — afirmou.