Sisu 2021: sistema que inviabiliza nota de corte muda nesta terça e, agora, estudante pode ver classificação real

Bruno Alfano
·2 minuto de leitura

RIO - O MEC muda, nesta terça-feira, a forma com que apresenta a nota de corte do Sisu, sistema de seleção para as vagas de universidades públicas. A decisão reverte decisão do antecessor da pasta, Abraham Weintraub, que foi muito criticada por estudantes.

No ano passado, o Ministério da Educação (MEC) começou a organiza a apresentação dos dados de forma com que as notas de cortes ficavam artificialmente mais altas, o que, na prática, inutilizava o recurso que baliza a escolha dos candidatos.

Até 2019, o sistema não considerava, para a nota de corte, a segunda opção dos candidatos que já estavam sendo selecionados na primeira opção de curso — o modelo voltará a ser assim a partir desta segunda-feira.

— O Sisu 2020 gerava uma dupla classificação. Ou seja, um mesmo candidato ocupava temporariamente duas vagas, gerando algo como uma “classificação fantasma”. Isso ocorria pois, ao sair o resultado, caso o candidato fosse aprovado em sua primeira opção, ele desaparece da lista de classificados da sua segunda opção, fazendo com que outros candidatos em posições inferiores durante as prévias ganhem várias colocações no momento do resultado da chamada regular — explica Frederico Torres, coordenador do Colégio Pódion e especialista em Sisu.

Um dos alunos de Torres terminou o último dia do Sisu de 2020 na 83ª posição. Com o fechamento do sistema — e, portanto, a saída da lista de quem colocou aquele curso como segunda opção — ele subiu para a 43ª. O problema é que é impossível prever quantas classificações fantasmas estão à frente do candidato.

O modelo criado na gestão Weintraub foi adotado até esta segunda-feira no Sisu 2021. A partir de agora, o sistema mostra a real classificação do candidato sem considerar o que os alunos passaram a chamar de "classificações fantasmas". Para a mudança, o Sisu, que terminaria na sexta-feira, foi adiado até a próxima quarta-feira.

Inscrições: de 6 a 14 de abril;

Resultado da chamada única: 16 de abril;

Matrícula ou registro acadêmico: de 19 a 23 de abril;

Manifestar interesse em participar da lista de espera: de 16 a 23 de abril.