Sisu chega ao último dia: entenda por que notas de cortes devem cair após encerramento das inscrições

Bruno Alfano
·3 minuto de leitura

RIO — O Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que reúne as vagas das universidades públicas, termina as inscrições nesta terça-feira pelo site www.sisu.mec.gov.br. Podem participar alunos que fizeram o Enem 2020 e não zeraram a prova de redação. O resultado sai na sexta-feira.

Assim como no ano passado, o Ministério da Educação (MEC) organizou a apresentação dos dados de forma com que as notas de cortes fiquem artificialmente mais altas, o que, na prática, inutiliza o recurso que baliza a escolha dos candidatos.

Por isso, é provável que as notas de corte desta sexta-feira, último dia de inscrição, sejam menores do que as de amanhã, quando o sistema é fechado. Isso significa, na prática, que alunos que não estavam entre os aprovados no último dia podem conseguir uma vaga.

Em anos anteriores, o sistema não considerava, para a nota de corte, a segunda opção dos candidatos que já estavam sendo selecionados na primeira opção de curso. O modelo novo, no entanto, não faz isso.

— O que gera uma dupla classificação. Ou seja, um mesmo candidato ocupa temporariamente duas vagas, gerando algo como uma “classificação fantasma”. Isso ocorre pois, ao sair o resultado, caso o candidato seja aprovado em sua primeira opção, ele desaparecerá da lista de classificados da sua segunda opção, fazendo com que outros candidatos em posições inferiores durante as prévias ganhem várias colocações no momento do resultado da chamada regular — explica Frederico Torres, coordenador do Colégio Pódion e especialista em Sisu.

Um dos alunos de Torres terminou o último dia do Sisu de 2020 na 83ª posição. Com o fechamento do sistema — e, portanto, a saída da lista de quem colocou aquele curso como segunda opção — ele subiu para a 43ª. O problema é que é impossível prever quantas classificações fantasmas estão à frente do candidato.

Segundo Rodrigo Magalhães, diretor do Colégio e Curso AZ, o aluno tem que olhar todo dia o que está acontecendo com a nota de corte para acompanhar as suas chances de aprovação.

— Para a tomada de decisão é importante levar em consideração: Notas de corte dos anos anteriores; Notas de corte divulgadas no último dia; Quantidade de vagas disponíveis naquele curso e instituição; número de reclassificados nos anos anteriores; sua posição (sua nota x nota de corte / posição na classificação) — afirma Magalhães.

Já Kim Matheus, professor e coordenador pedagógico do Hexag Medicina, afirma que o Sisu é como um “jogo de xadrez”.

— Os estudantes devem fazer suas inscrições no primeiro dia e acompanhar as alterações e movimentações das notas de corte. Estarem atentos como as instituições e cursos trabalham com os pesos das diferentes provas do Enem. Isso ajuda a ter um melhor aproveitamento da sua nota — diz.

Ainda segundo Kim, é importante também conferir as listas de espera dos últimos dois anos e verificar quantos alunos foram chamados. A partir desse índice, é possível saber se a espera vale a pena.

— Por exemplo, se o trigésimo aluno do ano passado foi convocado para matrícula, e o estudante que está fazendo a escolha está próximo dessa posição, ele terá chances — diz.

Já Magalhães lembra que, para participar da lista de espera, o candidato deve manifestar o interesse no prazo especificado no cronograma (veja abaixo), podendo escolher apenas uma das opções de vagas. Caso o candidato não manifeste interesse na lista de espera, ele será eliminado do processo.

Inscrições: de 6 a 9 de abril;

Resultado da chamada única: 13 de abril;

Matrícula ou registro acadêmico: de 14 a 19 de abril;

Manifestar interesse em participar da lista de espera: de 13 a 19 de abril.