Situação de internações por Covid-19 em Paris é extremamente tensa, diz premiê

·1 minuto de leitura

PARIS (Reuters) - A situação de internações por Covid-19 na região de Paris é extremamente tensa e as autoridades estão prontas para tomar novas medidas, disse o primeiro-ministro francês, Jean Castex, na sexta-feira. Apesar disso, o governo não anunciou toque de recolher ou novos bloqueios regionais.

Apesar do aumento dos casos de Covid-19, o governo francês até o momento não declarou um novo bloqueio nacional, optando por endurecer medidas locais em cidades mais atingidas como Nice e Dunquerque. Paris vinha sendo poupada até agora.

“Peço a todos, e principalmente os que vivem na capital, que sejam extremamente cuidadosos, usem a máscara e respeitem o distanciamento social. O objetivo é reduzir a pressão sobre o sistema hospitalar”, disse Castex durante uma visita a um hospital.

O número de pessoas com Covid-19 em unidades de terapia intensiva na sexta-feira ultrapassou 4.000 pela primeira vez desde 26 de novembro, com quase 1.100 pacientes com a doença em UTIs apenas na região de Paris.

Em Paris e arredores, gestores de saúde afirmam que as unidades de terapia intensiva estão quase sobrecarregadas.

Castex disse que na região de Ile-de-France, próximo a Paris, a campanha de vacinação será acelerada neste final de semana, com 25 mil doses extras.

O programa de vacinação da França tem sido prejudicado por gargalos logísticos e problemas com entregas de fabricantes de vacinas, mas Castex disse que a campanha está sendo acelerada, com 329.326 vacinas administradas na sexta-feira, um novo recorde para o país.

Até sexta-feira, 4,9 milhões de pessoas - 7,2% da população francesa - receberam a primeira injeção e 2,2 milhões receberam duas, mostraram os números oficiais.